Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

MILITARES VIGIAM FLORESTA

Os militares do Regimento de Artilharia nº4 vão patrulhar as florestas do distrito de Leiria, até 30 de Setembro, para prevenir a ocorrência de fogos florestais.
8 de Julho de 2003 às 00:00
A vigilância da floresta será garantida por equipas de militares
A vigilância da floresta será garantida por equipas de militares FOTO: Paulo Novais
As acções de vigilância serão desenvolvidas ao abrigo de um protocolo assinado ontem, que prevê também a distribuição de cartazes e desdobráveis, com procedimentos a adoptar pela população em caso de incêndio.
No acordo, subscrito pelo RA 4, Governo Civil de Leiria e Aliança Florestal - Sociedade para o Desenvolvimento Agro-Florestal SA, está previsto o patrulhamento diário em diversas zonas florestais do distrito, por uma equipa de oito militares.
Os circuitos foram definidos previamente, mas podem ser alterados, caso venha a verificar-se a necessidade de readaptação.
Orçado em 30 mil euros, que serão suportados pela Aliança Florestal, este projecto enquadra-se numa campanha de prevenção dos incêndios florestais que pretende envolver a população no auxílio à detecção dos fogos.
Segundo Pedro Moura, membro do Conselho de Administração da Aliança Florestal, a iniciativa é única a nível nacional e resulta da capacidade de mobilização dos diferentes sectores da sociedade, para aproveitamento dos recursos disponíveis.
Ao participar na campanha, o RA 4 terá garantido o pagamento das despesas de combustível e alimentação, necessárias ao patrulhamento.
A floresta portuguesa é um recurso determinante para a riqueza económica do País, representando cerca de 3,2 por cento do Produto Interno Bruto.
POPULAÇÃO COLABORA
“O seu alerta pode salvar a floresta”. Esta é a palavra chave dos cartazes e desdobráveis que serão distribuídos à população do distrito de Leiria, no âmbito da campanha promovida pelo Governo Civil, Regimento de Artilharia n.º 4 e Aliança Florestal SA.
Nos panfletos, os cidadãos são convidados a contribuir para reduzir os perigos de incêndio no distrito, comunicando para um número gratuito (800209209) sempre que detectarem “algo que possa pôr em risco ou esteja a afectar a floresta”.
Cientes que a cooperação entre entidades públicas, civis e militares “só poderá ser bem sucedida se contar com a participação das populações”, os responsáveis pela campanha vão afixar milhares de cartazes nos locais de maior afluência e distribuir 20 mil desdobráveis.
O número verde associado ao projecto está ligado directamente ao Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), o que permitirá uma mobilização mais rápida dos meios considerados necessários para o combate às chamas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)