Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Militares da GNR agredidos a soco

Patrulha recebe queixa de ruído e é recebida com violência.
Ana Palma e Tiago Griff 22 de Março de 2015 às 09:14
Os quatro agressores detidos – dois homens (em cima) e duas mulheres – foram ontem apresentados a tribunal pela GNR
Os quatro agressores detidos – dois homens (em cima) e duas mulheres – foram ontem apresentados a tribunal pela GNR FOTO: Joaquim José

Passavam poucos minutos das 03h30 da madrugada de ontem quando a patrulha da GNR de Lagos recebeu uma queixa de ruído na via pública, no Chinicato. Quando os dois militares chegaram à rua das Operárias Conserveiras, depararam com um grupo de sete indivíduos, que os recebeu com violência, a soco e pontapé. Quatro dos agressores – dois homens e duas mulheres, com idades entre os 25 e os 40 anos – acabaram detidos, com a colaboração da PSP.

Um dos guardas sofreu traumatismo craniano e o outro escoriações. Receberam ambos tratamento hospitalar e tiveram alta ainda ontem. Quando as agressões começaram, os militares pediram reforços, tendo chegado ao local mais meios da GNR e da PSP de Lagos, que controlaram a situação e ajudaram na detenção dos suspeitos. Os Bombeiros de Lagos foram alertados às 03h40 e assistiram as vítimas, que foram transportadas para o hospital de Portimão.

António Barreira, da Delegação Sul da Associação dos Profissionais da Guarda, lamenta que "embora este tipo de crimes seja público, as penas aplicadas não são dissuasoras. Segundo o dirigente, "é caso para dizer ‘Ó da Guarda, quem nos defende?". Os detidos foram ontem presentes ao Tribunal de Albufeira, onde continuavam a ser ouvidos à hora do fecho desta edição. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)