Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Ministério Púbico pede absolvição de ex-vice-presidente da Câmara de Portimão

Falta de provas pode inocentar todos os 10 arguidos.
Ana Palma 18 de Outubro de 2019 às 09:11
Luís Carito (esq.) mostrou-se satisfeito com a posição do Ministério Público
Luís Carito (esq.) mostrou-se satisfeito com a posição do Ministério Público FOTO: Pedro Noel da Luz
O Ministério Público pediu, esta quinta-feira de manhã, no Tribunal de Portimão, a absolvição de todos os 10 arguidos - entre os quais Luís Carito, ex-vice-presidente da Câmara de Portimão - de todos os crimes de que são acusados no âmbito do megaprocesso Cidade do Cinema. O ex-autarca e os restantes arguidos (seis dos quais sociedades) estão acusados de burla qualificada e participação económica em negócio.

Luís Carito está também pronunciado por crime de danificação ou subtração de documento (tirou um papel das mãos de um agente da PJ durante as buscas à sua casa, facto que assumiu em tribunal), mas o MP frisou "não se saber qual o conteúdo do papel".

O MP referiu-se ainda, exaustivamente, aos 15 contratos, na sua maioria ligados à Cidade do Cinema, através da Portimão Urbis e Turis, que constam da pronúncia e que teriam levado ao desvio de 4,6 milhões de euros do Estado por parte dos arguidos.

Em todos eles, o MP considerou "não haver provas de que os arguidos tenham atuado de forma concertada, prejudicado a Portimão Urbis ou obtido benefícios próprios em resultado dos contratos".

PORMENORES
Ex-autarca satisfeito
Luís Carito referiu ao CM achar que o Ministério Público (MP) agiu de forma correta e "fez justiça". E espera que o acórdão do coletivo de juízes vá no mesmo sentido da posição do MP. A sentença vai ser proferida no dia 30 de janeiro de 2020.

Processo de 28 volumes
Os factos do processo incidem entre os anos de 2009 e 2013. Ao todo, o processo integra 28 volumes. O despacho de pronúncia foi proferido pelo juiz Ivo Rosa, do Tribunal Central de Instrução Criminal. O julgamento começou há 10 meses.
Ver comentários