Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ministério Público confirma buscas ao Benfica

Notícia das buscas foi avançada pelo Correio da Manhã.
18 de Outubro de 2016 às 15:51
Judiciária entrou pela porta 18 do Estádio da Luz com mandado de busca, em direção à SAD, na manhã do último dia 11
Judiciária entrou pela porta 18 do Estádio da Luz com mandado de busca, em direção à SAD, na manhã do último dia 11 FOTO: Guilherme Venâncio
O Ministério Público - através do DIAP de Lisboa -  confirmou esta terça-feira à agência Lusa que foram realizadas buscas na SAD do Benfica, com vista à recolha de provas para um processo que está a dirigir. O Ministério Público atesta assim a veracidade da noticia avançada pelo Correio da Manhã e desmentida pelo jornal Expresso. 

"A Polícia Judiciária garante taxativamente ao Expresso que as diligências no Estádio da Luz, realizadas há uma semana, não foram "buscas policiais", com tem sido anunciado, mas apenas "uma reunião" entre investigadores e responsáveis do Benfica", lê-se no site do jornal Expresso.

"Confirma-se a realização, no âmbito de um processo dirigido pelo Ministério Público - DIAP de Lisboa -, de buscas com vista a recolha de prova", disse à Lusa fonte do Ministério Público (MP), acrescentando que as "diligências tiveram lugar no passado dia 11 de outubro".

A confirmação do Ministério Público surgiu horas depois de a agência Lusa ter questionado o organismo sobre a realização de buscas na SAD do Benfica no âmbito das despesas feitas com equipas de arbitragem, denunciadas há mais de um ano pelo presidente do Sporting.

Durante a manhã, o Benfica reiterou o seu empenho no "cabal esclarecimento e célere decisão" do denominado 'caso dos vouchers', espoletado por denúncias e acusações proferidas por Bruno de Carvalho.

Em comunicado, e "na sequência de notícias vindas a público sobre o processo", os tricampeões nacionais de futebol relembram que, após as "insinuações e acusações", feitas a 5 de outubro de 2015, "solicitaram à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que remetesse uma participação às instâncias competentes, visando promover a averiguação da situação referida no mais curto espaço de tempo".

Num programa televisivo, entre outras acusações, Bruno de Carvalho referiu que o Benfica fazia ofertas de cortesia a equipas de arbitragem em todos os jogos que poderiam atingir um valor global por época a rondar os 250 mil euros.

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) remeteu para o Ministério Público competente uma participação da FPF sobre as declarações do presidente do Sporting sobre aliciamentos a árbitros.

A 27 de janeiro deste ano, no âmbito da justiça desportiva, a Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional anunciou o arquivamento do processo decorrente das afirmações do presidente do Sporting sobre as ofertas do Benfica a árbitros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)