Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ministra da Educação não comenta Cavaco Silva

"O senhor presidente fez o seu discurso. Não vou comentar”. A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, não seguiu os passos do seu colega da Justiça, Alberto Costa, nem de dirigentes do PS, que comentaram favoravelmente o discurso de Ano Novo de Cavaco Silva. Recorde-se que o Presidente exigiu para este ano “progressos claros” na Economia, Educação e Justiça.
4 de Janeiro de 2007 às 00:00
Maria de Lurdes Rodrigues considera que o Governo já começou a melhorar a Educação em 2005
Maria de Lurdes Rodrigues considera que o Governo já começou a melhorar a Educação em 2005 FOTO: Sérgio Lemos
No caso concreto da Educação, o Presidente exprimiu o desejo de que “a qualidade do ensino, o estímulo à excelência e o combate sem tréguas ao insucesso e abandono escolar têm de ter sinais positivos”, já em 2007. “O objectivo [do Governo] é melhorar os resultados escolares. Estamos a tentar melhorar a Educação, mas não para 2007. Começámos em 2005, quando chegámos ao Governo”, lembrou ontem a governante, durante uma visita à Escola Primária n.º 1 de Ourique.
Anteontem, o ministro da Justiça, Alberto Costa, disse estar “completamente” identificado com a mensagem de Cavaco, posição corroborada pelo PS, para quem as preocupações do Presidente “estão em total consonância com os objectivos do Governo e com as suas prioridades”.
“A ministra estava numa situação privilegiada e deveria aproveitar o ‘empurrão’ do Presidente para incentivar os professores e as escolas”, disse António Avelãs, presidente do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa. Frisando não pretender encontrar um motivo para a ausência de comentário, António Avelãs não deixa de considerar “estranha” a posição da governante.
A ministra, que esteve em Ourique, onde os 300 alunos das escolas básicas passaram a ter novas mesas e cadeiras e um computador ligado à internet em todas as salas de aula, considerou “muito importante que a escola mude para melhor, sobretudo a do Primeiro Ciclo, que era a mais abandonada”. No início de um ano que deverá ver o fecho de mais 900 primárias, a ministra considerou que “os esforços de concentração de alunos em pólos de maior socialização e com recursos de maior qualidade têm de ser continuados”.
PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO
O programa de modernização das escolas secundárias vai avançar com quatro projectos-piloto, em Lisboa e no Porto. O Programa de Modernização do Parque Escolar do Secundário, aprovado em Conselho de Ministros em Dezembro, foi ontem publicado no ‘Diário da República’, definindo-se a sua calendarização. As intervenções-piloto devem ser concluídas até Setembro de 2008 e as obras nas restantes 42 escolas – 29 de Lisboa e 13 do Porto – devem ficar concluídas até ao início do ano lectivo 2011/12.
Segundo o Programa, deve ser realizado o levantamento da situação no restante parque escolar do País, de modo a que as obras se iniciem em Setembro de 2010. O Programa de Modernização destina-se a corrigir “problemas construtivos”, através da melhoria das condições de habitabilidade, segurança e acessibilidade e da adequação dos espaços às “exigências decorrentes da organização e dos ‘curricula’”.
O levantamento, realizado no último ano nas secundárias de Lisboa e Porto, denota “vários sinais de degradação física e de obsolescência funcional”, além da ausência de programas continuados de conservação e manutenção.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)