Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

MINISTRO ACUSA FALTA DE FORMAÇÃO NO COMBATE AOS FOGOS

O ministro da Agricultura, Sevinate Pinto, disse que em Portugal “não se sabe atacar fogos florestais”, numa declaração proferida esta terça-feira, na Assembleia da República.
4 de Novembro de 2003 às 15:13
Sevinate Pinto, que falava na Comissão Parlamentar eventual de incêndios florestais, salientou ter “algum pudor” em declarar publicamente que em Portugal “não se sabe atacar fogos”, mas admitiu que esta “é uma realidade” que é necessário enfrentar. O responsável da tutela explicou ter formulado esta conclusão com base nos relatórios dos serviços do ministério da Agricultura.
O ministro salientou não querer ferir as susceptibilidades dos bombeiros, admitindo que não é possível aos bombeiros da paz apagar fogos quando não têm formação adequada para o fazer.
O problema do combate aos fogos é agravado pela “falta de ordenamento do território”, considerou ainda Sevinate Pinto, que adiantou uma correcção aos valores de área ardida até 31 de Outubro último, nomeadamente, 423.949 hectares, os quais incluem 280 mil hectares de povoamentos e 143 mil de mato. Trata-se de um valor mais elevado do que o estimado no Livro Branco dos Incêndios, apresentado em Outubro pelo ministro da Administração Interna, e que referia uma área ardida de 410 mil hectares.
Em reacção à declaração do ministro da Agricultura, o presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, caracterizou-a de “ofensiva e infeliz”, justificando que os soldados da paz têm capacidades p’ara apagas fogos e recebem formação para o fazer.
Ver comentários