Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Ministro da Administração Interna solidário com GNR

Ministro afirma que agressões “não são admissíveis”.
José Durão 20 de Junho de 2019 às 09:38
A carregar o vídeo ...
Eduardo Cabrita afirma que agressões “não são admissíveis”.
Não são admissíveis, obviamente, quaisquer situações de agressão [a polícias]", afirmou esta quarta-feira o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na abertura do 15º curso de formação de agentes da PSP, nas instalações da Escola Prática da Polícia, em Torres Novas.

Confrontado com as declarações da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – que tinha acusado o ministro de "esconder a realidade" sobre o número de polícias agredidos em serviço –, Eduardo Cabrita declarou a sua "total solidariedade" com o papel dos polícias na sociedade e recordou os militares da GNR baleados durante uma operação de fiscalização em Coimbra.

"Tive oportunidade de estar com os dois militares que, cumprindo abnegadamente a sua função, estiveram envolvidos num incidente no fim de semana passado", disse. E deixou uma "mensagem de reconhecimento, por saber que fazem parte de algo que faz o Mundo olhar para Portugal como exemplo", acrescentou.

A visita do governante coincidiu com o arranque do novo curso de formação da PSP, que conta com 600 agentes e 200 novos chefes.

PORMENORES 
Movimento Zero
Questionado sobre as exigências do Movimento Zero, que reclama a sua demissão, o ministro Eduardo Cabrita escusou-se a reagir, afirmando que não comenta casos oriundos das redes sociais.

"País mais seguro"
Em Torres Novas, o ministro da Administração Interna elogiou novamente a posição do País nos rankings mundiais de segurança. "Evoluímos de 18º para 3º e tivemos, no ano passado, mais uma redução na criminalidade geral e na criminalidade violenta e grave", frisou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)