Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ministro diz que megaprocessos atrasam Justiça

O ministro da Justiça admitiu esta quarta-feira que os megaprocessos, como o da Casa Pia, não contribuem para celeridade da justiça, reconhecendo a necessidade de se segmentar o processo penal.
15 de Setembro de 2010 às 11:52
Alberto Martins preocupado com eficácia e imagem da Justiça
Alberto Martins preocupado com eficácia e imagem da Justiça FOTO: Lusa/Miguel A. Lopes

"O Procurador Geral da República já nos deu conta das consequências dos megaprocessos, que fazem perder a celeridade na resposta da justiça", afirmou Alberto Martins ao jornalistas no final da sessão de abertura do  XV Simpósio Europeu de Juízes de Patentes, em Lisboa.  

De acordo com a agência Lusa, o ministro referiu que já foram feitas várias alterações legislativas no processo penal, que devem entrar brevemente em vigor e que são consequências de alguns dos grandes processos mais recentes: "Houve já uma reforma com muito significado decorrente desses processos."  

Alberto Martins admitiu mesmo que "um dos grandes problemas da Justiça é a celeridade, a eficácia e a imagem da justiça".  

No entanto, o ministro sublinhou que confia no Estado de direito, adiantando que pretende "ajudar a fortalecer a imagem da justiça ajudar ao seu prestígio público e à sua eficácia".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)