Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Místicos reunidos em Lisboa

Crentes no poder do misticismo para o conhecimento e desenvolvimento do homem na sua vertente psíquica e física, os membros da Antiga e Mística Ordem da Rosacruz organizam a partir de hoje, e até domingo, uma convenção onde irão debater a consciência e a evolução.
7 de Setembro de 2007 às 00:00
Luís Marques, capelão, e Cristóvão Capela, grande conselheiro, na Loja de Lisboa
Luís Marques, capelão, e Cristóvão Capela, grande conselheiro, na Loja de Lisboa FOTO: Carlos Manuel Martins
Associação com uma vertente secreta e que resultou de uma cisão dos maçónicos, a Rosacruz possibilita que os momentos não ritualísticos da sua X Convenção sejam abertos ao público em geral. Esse encontro, onde são esperados 70 membros de Portugal e um igual número do Brasil, decorre no auditório da União de Associações de Comércio e Serviços, na Rua Castilho, em Lisboa.
Cristóvão Capela, grande conselheiro da Ordem da Rosacruz para Portugal, sublinha que esta associação, presente em 72 países e com a sua sede em San Jose, na Califórnia (EUA) procura dar uma orientação para a vida. “Há também um trabalho de meditação que, realizado no colectivo, possui um alcance mais elevado.” O mesmo sustenta que “um exercício frequente é prestar atenção por igual a todas as partes do corpo para um posterior benefício da saúde”. “É importante destinar um pouco de tempo por dia para observar o corpo, a partir dos pés, num processo ascendente em que o exercício mental visa sentir as próprias células.”
Cristóvão Capela acrescentou que os rituais não acessíveis ao público são momentos espirituais com forte influência da cultura dos antigos egípcios e onde estão representados o sol, a mãe natureza, a virgem vegetal e o capelão.
Em Lisboa, o culto é realizado na Rua D. Dinis, num espaço que recria os antigos templos egípcios e onde o acesso às várias salas está dependente da antiguidade do membro da associação (irmão).
Cristóvão Capela reconhece que a associação, há 27 anos em Portugal e que conta com 500 membros, vive uma crise de crentes. “Hoje as pessoas procuram coisas mais superficiais”, sublinha.
ROSACRUZES FAMOSOS
O poeta português Fernando Pessoa foi, segundo os rosacruzes portugueses, um simpatizante das ideias do movimento, no início do século XX em voga nos Estados Unidos, França e Brasil. Segundo a associação, ao longo da História, outros nomes grandes abraçaram as ideias dos rosacruzes. Entre eles estiveram o filósofo inglês Roger Bacon, o teólogo italiano São Tomás de Aquino, o poeta italiano Dante Alighieri, o humanista italiano Pico de Mirandola, o ensaísta britânico Francis Bacon, o filósofo francês René Descartes, o filósofo holandês de ascendência judaica portuguesa Espinoza, o cientista inglês Isaac Newton, o presidente dos Estados Unidos Thomas Jefferson, o escritor alemão Goethe e o compositor francês Claude Debussy. Além da partilha de valores com as lojas maçónica, os rosacruzes assumem também uma herança da Ordem dos Templários. Actualmente, os rosacruzes estão repartidos por diversas ordens. Aquela que entre hoje e domingo está reunida em Lisboa foi fundada nos Estados Unidos, em 1915, por Harvey Spencer Lewis.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)