Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: "Isto não corresponde à verdade"

Ex-presidente da Câmara de Santarém é acusado de três crimes de prevaricação e dois de participação económica em negócio.
16 de Maio de 2019 às 18:27
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Francisco Moita Flores é comentador do CM e da CMTV
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Francisco Moita Flores é comentador do CM e da CMTV
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Moita Flores reage às acusações de cinco crimes: 'Isto não corresponde à verdade'
Francisco Moita Flores é comentador do CM e da CMTV
O ex-presidente da Câmara de Santarém, Francisco Moita Flores, reagiu esta quinta-feira às acusações de que tem sido alvo, incluindo três crimes de prevaricação e dois de participação económica em negócio, confessando que "isto tudo não corresponde à verdade".

"Ao longo destes sete anos, tenho tido participações contra mim, são muitas. Isto não corresponde à verdade. Não foi nada pago a ninguém. O que aconteceu foi quando chegou uma fatura enorme recusei-me a pagar, depois de uma obra que tinha a ver com a ameaça da gripe A. Havia ameaça da empresa de participar da Câmara e isto foi o meu último ato enquanto Presidente da Câmara", explicou Moita Flores à CMTV.

"Ao fim de oito meses disto ter acontecido a empresa veio pedir os seus créditos. Recuso-me a pagar essas verbas", continuou.

Segundo uma nota publicada na página da internet do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora, o MP "deduziu acusação para julgamento por tribunal coletivo contra ex-presidente da Câmara Municipal de Santarém e um antigo funcionário daquele mesmo município, pela prática, em coautoria, de três crimes de prevaricação de titular de cargo político". O antigo autarca é ainda acusado da prática de dois crimes de participação económica em negócio.

O Ministério Público, que não indica na nota os nomes dos arguidos, revela que os crimes foram praticados entre 2009 e 2011, no âmbito do exercício das respetivas funções, "delas se aproveitando o arguido". Moita Flores foi presidente da Câmara Municipal de Santarém entre 2005 e 2012.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)