Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

‘Monstro do Porto’ fica na prisão

O director bancário que violava os dois filhos menores, um rapaz de 13 anos e uma menina adoptada de 14, não irá sair da cadeia anexa à PJ do Porto, onde está em prisão preventiva. A medida de coacção foi imposta pela juíza no primeiro interrogatório a 3 de Setembro e só deverá ser reavaliada quando passarem três meses após a detenção.
22 de Setembro de 2011 às 00:57
Suspeito vai continuar em prisão preventiva
Suspeito vai continuar em prisão preventiva FOTO: Miguel Pereira Silva

Mesmo aí, o ‘Monstro do Porto', que é defendido pelo escritório do advogado de Pinto da Costa, só poderá sair da prisão se algum dos pressupostos que o mantêm na cadeia se tiverem alterado. Ao que o CM apurou, no primeiro interrogatório o Ministério Público propôs a prisão preventiva para o pedófilo, medida que foi aceite pela juíza. O advogado de defesa do bancário, de 45 anos, interpôs um recurso onde pedia que o predador ficasse em prisão domiciliária. No despacho, a magistrada afirma que a hipótese poderá vir a ser admitida, mas ressalva que tal apenas acontecerá futuramente se certos pressupostos, como o alarme social, tiverem deixado de existir.

pedofilia violação porto judiciária bancário
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)