Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Montanhista viola filha e duas amigas

Maria (nome fictício) sofreu em silêncio sem nunca contar que o pai a obrigou a manter relações sexuais com ele desde que era uma criança de 12 anos, sempre que o progenitor a levava a praticar montanhismo para a serra de Sintra. Duas amigas da menina foram também violadas em locais ermos da serra pelo homem de 49 anos e uma delas não conseguiu suportar o terror que viveu e contou tudo.

11 de Novembro de 2011 às 01:00
VIOLAÇÃO, ALPINISTA, ABUSOS SEXUAIS, SINTRA
VIOLAÇÃO, ALPINISTA, ABUSOS SEXUAIS, SINTRA FOTO: Ricardo Cabral

A Polícia Judiciária, ao investigar o caso, apurou que o desempregado abusou das duas meninas e violou durante quatro anos a própria filha. O montanhista ficou ontem em prisão preventiva depois de ter sido ouvido em tribunal.

O homem de 49 anos sempre foi um apaixonado pelo montanhismo mas ninguém – nem a própria mulher, mãe de Maria, com quem é casado e reside na zona de Sintra – desconfiou que a paixão pela prática na serra escondesse actos criminosos.

E foi no silêncio e isolamento da serra que o homem, que já trabalhou como segurança, deu asas à sua perversão e durante quatro anos violou a própria filha. Mas Maria não foi a única a sofrer nas mãos do montanhista, que nos últimos dois anos levou também para serra, uma de cada vez, as amigas da menor.

As duas jovens, de 14 e 15 anos, também foram violadas pelo montanhista. Para uma das amigas de Maria, o sofrimento falou mais alto e a jovem não conseguiu aguentar em silêncio. Denunciou o pedófilo e revelou tudo à Polícia Judiciária, que de imediato iniciou uma investigação. As conclusões permitiram apurar as três violações e prender o homem.

O montanhista esteve ontem durante todo o dia a ser ouvido pelo juiz de instrução criminal, que determinou a prisão preventiva do violador, enquanto aguarda julgamento.

VIOLAÇÃO ALPINISTA ABUSOS SEXUAIS SINTRA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)