Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Monte do Casal em insolvência

"Tenho dois filhos, mais um a caminho, e a minha mulher está desempregada. Não sei como é que me vou governar agora". As palavras são de César Guerreiro, 29 anos, um dos 21 trabalhadores que ficou sem emprego, após a insolvência da empresa Monte Casal, que explorava o hotel de luxo com o mesmo nome, há 25 anos.

22 de Dezembro de 2011 às 01:00
Com o fecho do hotel, César Guerreiro fica no desemprego, como a mulher, à espera do terceiro filho
Com o fecho do hotel, César Guerreiro fica no desemprego, como a mulher, à espera do terceiro filho FOTO: Nuno Jesus

Segundo apurou o CM, a empresa, do inglês William Hawkins, 56 anos, terá dívidas (à banca, Estado e fornecedores) que rondam os 800 mil euros. Há pouco tempo foi criada uma outra empresa, a Paradise Scenery, em nome do pai de Hawkins, para onde foram transferidos os contratos dos trabalhadores. Mas, nem assim foram regularizados os vencimentos.

"Ainda não recebemos o ordenado de Novembro e os subsídios de férias e de Natal", diz ainda César Guerreiro, que era subchefe de sala no hotel de cinco estrelas há 19 meses.

De William Hawkins os trabalhadores só sabem que regressou a Inglaterra. Ontem ficou definido que a assembleia de credores decorre dia 22 de Fevereiro.

Com o hotel ao abandono desde o início da semana, ontem de madrugada foi arrombada uma janela e foram furtados alimentos e garrafas de vinho do Porto. A GNR esteve no local a investigar.

FARO HOTEL INSOLVÊNCIA
Ver comentários