Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Morreu depois de negarem interná-lo

Um homem de 44 anos faleceu quinta-feira, após constantes entradas e saídas nos hospitais de Lamego e Vila Real e no Centro de Saúde de Tarouca. Horas após ser finalmente internado em Vila Real, Salvador Teixeira morreu, alegadamente vítima de complicações respiratórias.
15 de Dezembro de 2007 às 00:00
A família quer apurar responsabilidades e acredita ter havido negligência médica. Alípio Teixeira, irmão da vítima, que o acompanhou de hospital em hospital, critica uma médica das urgências de Lamego que “recusou fazer qualquer tipo de exame e não considerou necessário o internamento quando ele estava cheio de dores e falta de ar.”
Os problemas de saúde começaram há cerca de duas semanas, quando Salvador se queixou de indisposição “após ter comido feijoada.” Nessa altura foi-lhe receitada, no Centro de Saúde de Tarouca, medicação contra a azia. Sem grandes resultados, recorreu de novo ao centro de saúde. A médica de família deu-lhe uma carta em que aconselhava o internamento em Lamego.
“Não quiseram internar o meu irmão, alegando que não tinham vagas e que ele podia ir para casa, já que as bolhas na cara não indicavam nada grave”, lamenta Alípio Teixeira que o viu ficar horas a soro, no domingo. Saiu de Lamego com uma consulta de dermatologia marcada para quarta-feira.
Nesse dia só foi medicado para as bolhas na face. Regressou a Tarouca, onde a médica de família voltou a recomendar o internamento, mas em Lamego não o aceitaram. Salvador voltou a casa perto da meia-noite, regressando a Lamego “a bolsar sangue” de onde foi transferido para o Hospital de Vila Real.
Os familiares esperam os resultados da autópsia para processar o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)