Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Morreu em incêndio

Uma mulher de 88 anos morreu na passada madrugada, na sequência de um incêndio que destruiu totalmente o interior da sua habitação, localizada na praça Deu-La-Deu, no centro da vila de Monção. Maria das Dores Sotto-Mayor, solteira, reformada, morava sozinha na casa onde nasceu e sempre viveu. Era tida como uma pessoa lúcida e que gozava de boa saúde física.
16 de Abril de 2008 às 00:30
A casa de Maria das Dores ficou completamente destruída pelas chamas
A casa de Maria das Dores ficou completamente destruída pelas chamas FOTO: Carla Vieira

O incêndio deflagrou por volta das 05h00 da madrugada e ao local acorreram as corporações dos Bombeiros Voluntários de Monção, Melgaço e Valença, envolvendo um total de 15 viaturas e cerca de 40 homens.

Segundo João Parra, comandante da corporação de Monção, foi bastante complicado combater o fogo porque "tratando-se de um incêndio urbano havia casas em risco".

"Logo que entrámos houve uma explosão proveniente de uma garrafa de gás, seguida de derrocada de parte do telhado o que nos obrigou a abandonar a casa. Só mais tarde, numa segunda tentativa para combater as chamas é que descobrimos o corpo da senhora, totalmente carbonizado. Estava caída no chão da cozinha, a única divisão que tinha piso de pedra, onde provavelmente a idosa terá tentado encontrar refúgio", disse o responsável ao CM.

Ontem, ao início da manhã, familiares, amigos e vizinhos lamentavam a triste sorte da idosa. Tida como pessoa de hábitos simples, a mulher desempenhava as várias tarefas domésticas sem qualquer dificuldade. E a independência de que gozava levou-a a rejeitar sempre a hipótese de sair da sua casa ou de ir viver com qualquer um dos seus familiares.

Emília Paula, uma das vizinhas que deu o alerta, contou ao CM que a idosa era tida como "muito boa senhora, amável e faladora".

Visivelmente transtornadas, Francisca e Maria José, sobrinhas da vítima, não percebem como uma tragédia destas dimensões pôde acontecer. "Nunca colocámos a hipótese de que uma coisa destas pudesse ocorrer. Não conseguimos encontrar qualquer explicação."

"Triste fim para quem vendia saúde" comentava também uma amiga da vítima com quem aquela costumava frequentar a igreja local.

As causas do incêndio ainda não estão apuradas mas João Parra, dos Bombeiros de Monção, aponta como causa provável um curto-circuito. "A instalação eléctrica era bastante antiga. Pode ser essa a causa", disse.

MADRUGADA DE PÂNICO NA VIZINHANÇA

A madrugada foi de pânico entre os moradores das casas vizinhas à habitação onde deflagrou o incêndio. "Ninguém voltou a dormir, isso é que era bom. Primeiro porque não se sabia o que se passava com a dona da casa e depois porque tínhamos medo que o fogo alastrasse às nossas casas. Foi o pânico completo" contou uma das vizinhas ao CM, acrescentando: "E depois quando ela foi encontrada já sem vida foi uma tristeza vivida por todos. Era muito boa pessoa, não merecia este fim" suspira.

Também o salão de cabeleireiro que funcionava no rés-do-chão ficou destruído. E a proprietária não escondia o desgosto pela tragédia. "É o trabalho de 18 anos que vai à vida. Foi um grande prejuízo", lamentou.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)