Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

MORTO A TIRO PELO COLEGA

A rotina na Rua 8 de Dezembro do Bairro Cova da Moura, Amadora, não mudou. As mesmas mulheres vendem fruta e legumes em bancadas improvisadas. Os mesmos grupos de amigos juntam-se às portas dos cafés. Parece que nada aconteceu na noite de anteontem, quando dois amigos se envolveram numa discussão que acabou num tiroteio. Resultado: Nelson Mendes, 21 anos, morto e a mãe do jovem que alegadamente disparou ferida.
2 de Agosto de 2004 às 00:00
Nelson Mendes, 21 anos, era conhecido no bairro como uma 'pessoa simpática'
Nelson Mendes, 21 anos, era conhecido no bairro como uma 'pessoa simpática' FOTO: Natália Ferraz
As razões da discussão entre os dois amigos só eles próprios conhecem. Certo é que, pelas 20h00 de sábado, Nelson Mendes aguardava o amigo à frente do número 33 da Rua 8 de Dezembro.
Ao que o Correio da Manhã apurou junto de alguns moradores, os jovens terão tido uma acesa discussão. Ambos estavam armados. Nelson terá apontado uma arma ao amigo, da mesma idade, mas ele foi mais rápido e disparou primeiro.
“Os negros são assim, têm os nervos à flor da pele”, dizia o proprietário de um estabelecimento ali situado que, temendo represálias, não se quis identificar. “Não quero confusões”, explicou.
Apesar de o seu estabelecimento estar bem próximo do local do crime, o proprietário garante não ter ouvido nada. Viu sim as pessoas a correr e a contar que “estava alguém ferido”.
Durante o tiroteio a mãe do jovem, que alegadamente matou Nelson Mendes, ainda foi atingida. A tentar evitar a tragédia foi baleada e teve de receber tratamento hospitalar. De onde veio o tiro, é que ninguém sabe.
Já a mãe da vítima mortal, Isabel Furtado, estava a chegar a casa quando viu o bairro em alvoroço. “Não me deixaram ir ver o meu menino”, soluçou ao nosso jornal. Se o tivesse visto, encontrava o filho já cadáver, tal como encontrou a PSP da Amadora quando chegou ao local.
Com os olhos lavados em lágrimas, Isabel não deixou de elogiar o filho mais novo. “Ele nunca foi mal-educado”, diz Isabel que aguarda a chegada dos outros dois filhos (um rapaz e uma rapariga) que estão em Londres e que vêm para o funeral.
”Nunca pensei enterrar o meu filho, sempre pensei que ele é que me fosse enterrar a mim”, chorou Isabel.
Nelson já não morava com a mãe, mas vivia numa casa bem perto com a namorada. Quanto à profissão, “trabalhava por conta própria aqui e ali”, acrescentou a mãe de Nelson sem conseguir atribuir um nome à sua ocupação.
Pelas ruas do Bairro Cova da Moura ninguém quer falar sobre o assunto. Mas quando se descaiem mostram consternação por saberem que os jovens eram dois amigos e que andavam sempre juntos.
Depois do disparo, o agressor fugiu com um irmão mais velho para parte incerta. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária, que até ao fecho do jornal ainda não tinha capturado o suspeito.
PORMENORES
ARMAS FREQUENTES
O proprietário de um dos cafés do Bairro Cova da Moura, na Amadora, conhece bem os jovens que ali param e não se admira com o facto de os dois amigos estarem armados. É que, ao que afirma, todos os jovens do bairro têm uma arma. “Aqui trazemos Deus na boca porque os miúdos que aqui andam estão sempre armados e todos os assaltos que há são sob ameaça de arma”, explicou.
SONS DOS DISPAROS
Os moradores do bairro foram surpreendidos pelos sons dos tiros e depressa correram ao local do crime. Mas a tragédia já tinha acontecido. Nelson Mendes estava estendido no chão e a mãe do alegado autor dos disparos tinha sido atingida por um tiro. Ainda não se sabe se o tiro foi disparado pelo seu próprio filho.
DISCUSSÃO RESOLVIDA
Ao que o CM apurou, Nelson estava à espera do amigo com uma arma para resolver uma discussão que tinham tido. Mas o amigo é que disparou contra Nelson. Há quem diga que o suspeito chamou o irmão mais velho, de cerca de 30 anos, para o ajudar. Os dois irmãos terão fugido de carro para parte incerta. As razões da discussão resolvida a tiro estão ainda por descobrir.
Ver comentários