Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Mulher agredida pelo marido por não fazer sopa para o almoço

Vítima foi atacada pelo companheiro que lhe chegou a arremessar cadeiras e as canadianas, em Ovar.
Nelson Rodrigues 3 de Novembro de 2019 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Vítima foi atacada pelo companheiro que lhe chegou a arremessar cadeiras e as canadianas, em Ovar.
O homem ficou desempregado, em 2010, após ter sofrido um acidente de viação em que lhe foi amputada uma perna. Reformado e sem ocupação, passou a consumir bebidas alcoólicas em exagero e a agressividade para com a mulher adensou-se.

Numa das situações, em julho do ano passado, na casa em que viviam, em Ovar, o casal discutiu porque a companheira não tinha feito a sopa para o almoço. A vítima chegou a ser agredida com as canadianas, com cadeiras e ameaçada de morte. Também os dois filhos, de 16 e 20 anos, viviam em terror.

"Vou partir tudo"; "Rebento a casa toda"; "Eu hoje mato-vos todos a tiro." Foram estas as expressões proferidas pelo agressor, de 49 anos, que está a ser julgado no Tribunal de Aveiro por violência doméstica, ameaça agravada, ofensas à integridade física, resistência e coação e injúria agravada.

O casal manteve um relacionamento durante 24 anos e a vítima já tinha apresentado, em 2010, queixa por violência doméstica - num processo em que foi apreendida uma arma de fogo.

Na noite de 30 de julho do ano passado o arguido arremessou contra a vítima vários objetos, enquanto a ameaçava de morte. Aterrorizados, a vítima e os dois filhos fugiram para fora da casa, onde aguardaram a chegada da GNR. Com um isqueiro em forma de arma o agressor ameaçou os militares.

"Vou-vos matar. Vou resolver os problemas à minha maneira, nem que tenha de dar tiros", disse, resistindo à detenção.

Filho protegia a mãe da fúria do pai
O processo refere que um dos filhos do casal chegou a proteger a mãe várias vezes da violência do pai. No dia da discussão por causa da sopa, o filho colocou-se no meio dos dois.

"Agrediu a vítima fisicamente, humilhando-a e fazendo-a temer pela sua integridade, privando-a da paz e sossego, sempre dentro de casa e diante dos dois filhos, indiferente à circunstância de ser sua mulher", diz a acusação.

PORMENORES
Vítima foi hospitalizada

Com a conduta do arguido, a vítima chegou a ser hospitalizada várias vezes, com ferimentos nos braços e nas pernas, tendo ficado de baixa médica durante alguns dias.

Pedia dinheiro à mulher
O arguido pedia ainda dinheiro com frequência à mulher, uma vez que gastava todo o dinheiro da reforma em bebidas alcoólicas e tabaco. Num dos casos exigiu-lhe cinco euros.

Enviou-lhe mensagem
Em dezembro de 2018, o arguido também chegou a mandar uma mensagem ameaçadora para o telemóvel da vítima, o que a deixou em pânico. "Vais-te f...", escreveu-lhe.
Ovar questões sociais crime lei e justiça maus-tratos morte crime polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)