Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Mulher apanha sete anos e meio de prisão por deixar namorado a esvair-se em sangue após facada

Tribunal de Santarém deu como provado que Cristiane Oliveira, de 37 anos, agiu com a intenção expressa de tirar a vida a Bruno Videira, de 28 anos.
João Nuno Pepino 6 de Dezembro de 2022 às 23:11
Cristiani Oliveira à saída da carrinha celular, arguida por ter tentado matar o namorado, em Santarém
Muher condenada por esfaquear namorado em Santarém
Cristiani Oliveira à saída da carrinha celular, arguida por ter tentado matar o namorado, em Santarém
Muher condenada por esfaquear namorado em Santarém
Cristiani Oliveira à saída da carrinha celular, arguida por ter tentado matar o namorado, em Santarém
Muher condenada por esfaquear namorado em Santarém
A mulher que tentou matar o namorado à facada num apartamento em Santarém, durante uma discussão conjugal no feriado de 5 de outubro de 2021, foi condenada a sete anos e seis meses de prisão efetiva, por um crime de homicídio qualificado na forma tentada. O Tribunal de Santarém deu como provado que Cristiane Oliveira, de 37 anos, agiu com a intenção expressa de tirar a vida a Bruno Videira, de 28 anos, que escapou por um triz à morte e ficou com uma cicatriz de 32 centímetros cravada no peito para o recordar para sempre do episódio.

A tentativa de homicídio foi o culminar de uma relação conturbada de quase dois anos, marcada pelos ciúmes doentios e possessivos da mulher de nacionalidade brasileira, que controlava a vida do namorado. A briga fatal começou numa discussão fútil, por causa da vítima ter estado a pintar um estabelecimento de estética de uma amiga de ambos, e terminou numa troca de agressões na casa do casal.

Segundo o Acórdão, ao invés de sair do apartamento, Cristiane Oliveira foi à cozinha munir-se de uma faca, e regressou ao quarto para esfaquear Bruno, fugindo antes da chegada da PSP e deixando o namorado a esvair-se em sangue. Recorde-se que a mulher andou a monte e só se entregou voluntariamente às autoridades cerca de um mês depois do crime, depois de ter estado escondida no Algarve.

No julgamento, a arguida disse ter agido em legítima defesa para se defender das agressões que estava a sofrer, mas o coletivo de juízes não só não deu qualquer crédito à sua versão dos factos, como sublinhou a "total frieza" das suas declarações e o facto de não ter mostrado arrependimento.

O Tribunal de Santarém absolveu Cristiane Oliveira da acusação de violência doméstica, mas aplicou-lhe, como pena acessória à tentativa de homicídio, a expulsão do país durante 10 anos, após cumprir o tempo de prisão.
Santarém Cristiane Oliveira Bruno Videira Tribunal de Santarém crime lei e justiça julgamentos crime
Ver comentários
C-Studio