Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Mulher atacada por marido empresário: "O sangue era tanto, pensei que ia morrer”

Eliza Pinto, de 29 anos, relatou que o marido a atacou com um maço de calceteiro no hotel, em Vigo.
Ana Isabel Fonseca 15 de Março de 2019 às 08:43
A carregar o vídeo ...
Eliza Pinto, de 29 anos, relatou que o marido a atacou com um maço de calceteiro no hotel, em Vigo.
Eliza Pinto, de 29 anos, teve de parar várias vezes o depoimento. Chorou e mostrou-se muito abalada ao recordar a tentativa de homicídio de que foi alvo, segundo a acusação, por parte do marido, Carlos Inácio, num hotel em Vigo, Espanha, em maio de 2016. O arguido, de 60 anos, começou ontem a ser julgado no Tribunal de Pontevedra e assegurou que agiu em legítima defesa.

"Senti uma forte pancada na parte de trás da cabeça. Ele continuou sempre a golpear- -me, a golpear-me. Depois, meteu-se em cima de mim e estrangulou-me (...). O sangue era tanto. Pensei que ia morrer. Sabia que tinha de sair dali ou não sobrevivia", disse Eliza, natural da Roménia, que disse ter depois visto o maço de calceteiro com o qual foi atacada.

Já Carlos - que terá cometido o crime para receber um seguro de 150 mil euros - afirmou que foi a jovem, com quem casou em 2015, que o atacou. "Ela entrou na casa de banho e depois senti alguma coisa a bater-me de lado e empurrei-a.

Ela caiu para trás e bateu na esquina da banheira e da porta", contou o empresário, dando conta de que Eliza gritou por socorro. Apesar de o arguido, que está preso, ter dívidas ao Fisco, levava uma vida abastada. Fazia várias viagens com Eliza, tinha carros de luxo e ia comprar uma casa de 300 mil euros, em Vila Nova de Gaia.

Ontem, Carlos Pinto conheceu também a decisão de um processo em Santo Tirso. Foi ilibado da participação numa fraude fiscal de 59 mil euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)