Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Mulher atraída para a morte

A mulher degolada à porta da oficina de que era proprietária, no Fundão, foi atraída para morte após receber dois telefonemas quando já estava em casa. Antes, Maria José Milheiro, de 44 anos, foi buscar a filha à escola. Quando atendeu as chamadas no telemóvel disse à menina de 11 anos que ia ao escritório "tratar de uns papéis" e que "regressava rápido".
29 de Outubro de 2009 às 00:30
João Reis marido da vitima, ajudou a transportar a urna com o corpo da mulher para o cemitério de Valverde
João Reis marido da vitima, ajudou a transportar a urna com o corpo da mulher para o cemitério de Valverde FOTO: Edgar Martins

Mas não voltou. Foi encontrada morta, pelas 00h45 de terça-feira, com golpes na garganta e a coluna cervical partida. A PJ da Guarda está convencida de que os contactos telefónicos feitos naquela noite podem ajudar a esclarecer o crime. Está também a reconstituir os passos da empresária e das pessoas com quem mantinha relações.

Maria Milheiro deslocou-se sozinha à oficina num Volkswagen Golf que já foi alvo de perícias, e a PJ aguarda pelos resultados dos exames complementares à autópsia e das provas recolhidas da roupa da vítima.

Embora o homicídio possa ter resultado de um assalto falhado, a investigação policial estará nesta altura direccionada para um crime premeditado.

Maria Milheiro, que deixa três filhos, dois deles gémeos de 20 anos, foi ontem a enterrar em Valverde. O marido, com quem casou há 21 anos, manteve-se sereno e pensativo enquanto segurava a urna. João Reis, de 45 anos, estava no Algarve na noite do crime.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)