Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

MULHER DE 87 ANOS VIOLADA

Uma octogenária foi violada e agredida por um homem de 49 anos, na aldeia de Paradela, Miranda do Douro, enquanto guardava dois burros que apascentavam num lameiro. Aos gritos de socorro acudiu uma vizinha que afugentou o agressor, que se colocou em fuga para uma aldeia vizinha, do lado de lá da fronteira, em Espanha.
29 de Junho de 2004 às 00:00
Tudo se passou às 19h30 de sábado quando Florinda João, de 87 anos, vigiava os ‘burritos’ e aproveitava para fazer umas meias de lã em croché. Na companhia do seu único filho, José Ildefonso, 59 anos, contou ao CM como tudo aconteceu.
“Estava sentada debaixo de um sobreiro e dei conta que uma pessoa se tinha aninhado à minha beira. Nunca supus que fosse para me fazer mal. Pouco depois atirou-se a mim e rolámos pelo chão. Gritei e ele tapou-me a boca, dizendo-me que me calasse se não ainda era pior”, explicou Florinda João. Aos gritos acorreu uma vizinha que estava perto a plantar couves e com uma sachola colocou o agressor em fuga.
A notícia correu rápido pela aldeia, os sinos tocaram a rebate e no café ‘O Paradela’ formaram-se grupos para tentar encontrar o violador. “Se o tivéssemos encontrado ele seria linchado e alguns de nós estaríamos atrás das grades”, disse José Ildefonso. Albina Martins, dona do café, disse ao CM que o suspeito esteve no ‘Paradela’ para comprar agulhas. “Trazia a cara com escoriações e sangrava, sinal de que já teria feito alguma noutro lugar”, afirmou.
O suspeito, Manuel Esteves, 49 anos, de Parada de Gatão, Miranda do Douro, refugiou-se na aldeia espanhola de Ciadeira, a escassos cinco quilómetros de Paradela, onde foi descoberto pela Guardia Civil Espanhola que depois o entregou à GNR.
PORMENORES
PREVENTIVA
O suspeito foi acareado com a idosa no posto da GNR onde terá confessado o crime. Na posse dos exames periciais realizados à idosa, o Tribunal de Bragança decretou-lhe prisão preventiva.
DESCRIÇÃO
“Meteu a língua dele na minha boca e eu mordi-o, o que o obrigou a gritar de dor. Voltou a saltar para cima de mim e espetei-lhe as agulhas do croché no rabo, o que o levou a agredir-me na cara, nos ombros e a apertar-me o pescoço”, descreveu a vítima, Florinda João.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)