Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Mulher faz greve de fome por marido preso

Saída para visitar a mãe com doença terminal por decidir há 3 meses.
Fátima Vilaça 27 de Agosto de 2017 às 09:09
Greve de fome decorre em frente ao Estabelecimento Prisional de Braga
Greve de fome decorre em frente ao Estabelecimento Prisional de Braga FOTO: CMTV
Desde meados do mês de maio que um homem de Guimarães, detido preventivamente no Estabelecimento Prisional (EP) de Braga, aguarda que a direção autorize uma saída para visitar a mãe, uma doente oncológica em fase terminal. Revoltada com a demora, a mulher do recluso iniciou na sexta-feira uma greve de fome em frente à cadeia.

"Só saio daqui quando a diretora da cadeia disser ao meu marido que pode ir a casa despedir-se da mãe", disse ao CM Daniela Azevedo, determinada em manter o protesto. Márcio Silva, conhecido pela alcunha de ‘Ultra’, foi detido em março em Guimarães pela Polícia Judiciária do Porto. É suspeito de pertencer a um grupo que assaltou, à mão armada, um comerciante em Vermoim, Vila Nova de Famalicão.

Daniela Azevedo diz que o marido está "psicologicamente abalado" e teme que possa "fazer asneiras" se a resposta for negativa.
A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais disse ao CM que a saída tem que ser "previamente autorizada pelo Tribunal à ordem do qual o recluso se encontra em prisão preventiva".

Condenado por furto
Em maio deste ano, o recluso foi condenado pelo Tribunal de Braga a quatro anos e seis meses de cadeia por furto em veículos. ‘Ultra’ recorreu e aguarda decisão do Tribunal da Relação de Guimarães.

Saídas precárias
As Saídas Jurisdicionais - vulgarmente designadas por precárias - são da exclusiva competência dos Tribunais de Execução de Penas e aplicam-se apenas a reclusos condenados. No que toca a presos preventivos, só estão previstas saídas administrativas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)