Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Mulher fica em prisão preventiva por furtar caldos de galinha

Mulher de 33 anos acumula dezenas de crimes desde 2006.
Sérgio A. Vitorino 12 de Setembro de 2019 às 01:30
Algemas
Grades de Prisão
Algemas
Grades de Prisão
Algemas
Grades de Prisão

A mulher de 33 anos coleciona crimes, principalmente pequenos furtos, mas também roubos e tráfico de droga, desde 2006. Em 2018, por exemplo, foi apanhada em 11 delitos. Em 2017 haviam sido 13 as detenções. Foi agora travada pela oitava vez este ano. Furtou 99,75 euros em caldos de galinha, num supermercado de Lisboa, e agrediu a gerente quando foi apanhada à saída da loja. Detida pela PSP, foi posta, pelo tribunal, em prisão preventiva na cadeia de Tires.

Segundo explicou ao CM fonte policial, a mulher, que não tem profissão conhecida e dá uma morada de Castelo Branco, apesar de viver por vários locais de Lisboa, entrou no Minipreço da estrada de Benfica pouco após o almoço de segunda-feira. Furtou e escondeu em vários locais das roupas que usava embalagens de caldo de galinha. O objetivo seria vendê-los na rua e conseguir assim dinheiro para um alegado vício da droga.

Mas foi vista pelos funcionários e retida quando se preparava para passar a linha de caixas sem efetuar qualquer pagamento. Resistiu à abordagem e agrediu com murros e pontapés a gerente do supermercado.

Elementos da PSP de Lisboa, entretanto chamados, detiveram a assaltante, que já a conheciam das dezenas de detenções anteriores. Historial de furtos, roubos e tráfico de droga que se estende por várias páginas de registo criminal. Desde 2006 e com um mínimo de cinco detenções por ano - fora os furtos em que não foi apanhada. Presente a juiz, no Campus da Justiça, ficou em preventiva pelo acumular de crimes.

Lisboa mulher PSP Tires crime lei e justiça questões sociais crime polícia dependência prisão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)