Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Mulher grávida agredida no Funchal não quer apresentar queixa

A investigação da PSP prossegue por se tratar de um crime público que não carece de queixa.
João Carlos Rodrigues 9 de Novembro de 2018 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Mulher grávida agredida no Funchal não quer apresentar queixa
Uma discussão entre marido e mulher – grávida de oito meses – no interior de uma bar do Funchal terminou esta quarta-feira à noite num verdadeiro espancamento em plena via pública. A situação foi filmada por um homem que se apercebeu da cena e as imagens poderão ser fundamentais para o inquérito que já foi aberto pela PSP.

A mulher agredida pelo marido sofreu ferimentos graves ao nível da face e foi hospitalizada, mas a situação não terá tido consequências para o feto.

Segundo o CM apurou, trata-se de um casal originário do Uzbequistão, ela com 25 anos, ele com 27, que reside na ilha da Madeira há cerca de dois anos e que já são conhecidos das autoridades por outras situações de violência.

Esta quinta-feira à noite, a PSP continuava a tentar localizar o suspeito do crime, que fugiu do local quando se apercebeu de que estava a ser filmado, deixando ficar a mulher caída no chão, a escorrer sangue.

"Estava sentado a jantar, por volta das 23h00, quando me apercebi da situação e vi o homem a agredi-la com socos e pontapés. Nessa altura corri em direção a ele e ele fugiu, deixando a mulher coberta de sangue e aos gritos", contou o homem.

Esta intervenção terá evitado consequências mais graves para a vítima. A situação de violência terá começado minutos antes, num bar onde o casal estava e prosseguiu no exterior.

A mulher, que não quer apresentar queixa contra o agressor, já recebeu alta hospitalar. A investigação da PSP prossegue por se tratar de um crime público que não carece de queixa.
PSP Funchal Uzbequistão Madeira crime polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)