Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Mulher julgada por atacar o pai

Homicídio qualificado na forma tentada. É este o crime pelo qual Vanda Soares, 37 anos, vai responder em julgamento, por ter tentado atropelar o pai, perto do mercado de Armação de Pêra, na manhã de 12 de Fevereiro do ano passado. Foi pronunciada pelo juiz de instrução criminal do Círculo Judicial de Portimão, num processo que teve origem na queixa do progenitor, José Manuel Sequeira, de 63 anos. "Escapei por um triz", disse a vítima ao CM.
17 de Fevereiro de 2012 às 01:00
José Manuel Sequeira alega que a filha queria ficar com o bar QB, em Armação de Pêra
José Manuel Sequeira alega que a filha queria ficar com o bar QB, em Armação de Pêra FOTO: Miguel Veterano Júnior

"É muito duro para um pai que fez tudo pela sua única filha. Sinto-me muito mal, mas tinha de me defender", lamentou José Manuel Sequeira, depois de conhecida, anteontem, a decisão do juiz Pedro Frias de levar Vanda a julgamento. Pelo crime de ameaça agravada, a arguida não foi pronunciada.

O queixoso já tinha aberto um processo por ameaças, desde 2010, quando a filha o tentou atropelar. "Quase todos os dias ia à porta do café ameaçar-me", diz José Manuel Sequeira, referindo-se ao bar QB, do qual assegurou a propriedade após divórcio e partilhas litigiosas. "Foi uma luta de 12 anos", refere.

José atribui a mudança de comportamento da filha ao início do namoro, em 1998, com Miguel Soares, que em Janeiro de 2010, enquanto militar da GNR e já casado com Vanda, foi condenado pelo Tribunal de Silves a oito anos de prisão por falsificação, coacção, abuso de poder e um crime de violação. O ex-militar está evadido do Estabelecimento Prisional de Tomar, desde Março do ano passado, após uma saída jurisdicional.

Queixa Pai Filha Mulher Atacar
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)