Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Mulher tenta matar o marido três vezes

Homem foi atingido a tiro e agredido na cabeça. Depois, ainda foi alvo de duas tentativas de envenenamento.
Ana Palma 22 de Novembro de 2019 às 08:25
Homem de 63 anos foi encontrado na rua da Correeira, em Montechoro, após ter sido baleado na garagem de casa
Julgamento no Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Homem de 63 anos foi encontrado na rua da Correeira, em Montechoro, após ter sido baleado na garagem de casa
Julgamento no Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Homem de 63 anos foi encontrado na rua da Correeira, em Montechoro, após ter sido baleado na garagem de casa
Julgamento no Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Tribunal de Portimão
Uma mulher de 47 anos está a ser julgada no Tribunal de Portimão por ter tentado matar o marido três vezes, uma delas com a ajuda de um médico de 63, que também é arguido no processo.

De acordo com o Ministério Público, os factos remontam à noite de 26 de dezembro de 2014. A mulher, que vivia com o marido em Montechoro, Albufeira, terá "delineado um plano para simular um assalto com aquele a ser atingido com tiros de arma de fogo". Para tal, a arguida pediu ajuda a um indivíduo, que nunca chegou a ser apanhado.

Às 23h00 a mulher foi com o marido à garagem, onde o outro homem os esperava e disparou três tiros de calibre 6.35 contra a vítima, atingida no tórax, numa omoplata e perto da coluna vertebral. O homem também foi agredido na cabeça. A mulher foi a casa e, quando voltou, o marido tinha desaparecido.

Foi encontrado pela GNR "na rua da Correeira, a cerca de 200/300 metros da casa" e levado para o Hospital de Faro. No dia 30 de janeiro de 2015, a arguida foi ao hospital e injetou no abdómen do marido um pesticida, para o matar.

A intoxicação foi detetada e o homem sobreviveu. Por fim, a mulher pediu ajuda a um médico do hospital, a quem disse ter medo que o marido lhe fizesse mal quando tivesse alta.

O clínico começou por pedir o adiamento da alta da vítima e, no dia 26 de março, envergando uma bata, deu cinco comprimidos de benzodiazepinas à vitima e à tarde uma injeção do mesmo produto na barriga.

Mas o homem sobreviveu outra vez e os criminosos foram apanhados.

PORMENORES
Omissão de auxílio
Além dos três crimes de homicídio na forma tentada, a arguida vai ainda responder por um de omissão de auxílio. Quanto ao médico, está acusado de apenas um crime de homicídio na forma tentada.

Horas a sangrar
A vítima deu entrada no Hospital de Faro pelas 06h15 do dia 27 de dezembro de 2014. De acordo com o Ministério Público, tinha sido baleado pelas 23h00 do dia anterior. Foi encontrado pela GNR, a sangrar.

Pesticida
O pesticida que a arguida injetou no abdómen do marido quando este estava hospitalizado em Faro trata-se de organofosforados. Só a deteção rápida da intoxicação salvou a vida ao homem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)