Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

NÃO DE BRAGA AO IPO

Os pais de crianças oncológicas do distrito de Braga juntaram-se aos do Porto e de outras regiões do Norte do país, na contestação à intenção do ministro da Saúde de transferir a pediatria oncológica do Hospital de S. João para o Instituto Português de Oncologia (IPO).
19 de Junho de 2003 às 00:00
Miguel Bandeira, um dos rostos desta contestação, disse ao Correio da Manhã que “a concretização dessa mudança pode significar o fim de um dos melhores serviços do mundo, ao nível da oncologia pediátrica”.
“No S. João existe um serviço integrado e multidisciplinar, com muitos anos de saber acumulado e com uma extraordinária taxa de sucesso, o que, ao que nos é dito pelos especialistas, não é possível ter no IPO”, sublinhou este professor catedrático que, há mais de quatro anos acompanha os tratamentos do filho de cinco, no Hospital de S. João.
Para este país, o IPO é um local especializado no tratamento de adultos e, frisam, “uma criança não pode ser considerada um adulto em miniatura.
Para além do infortúnio de terem filhos com problemas de foro oncológico, os pais manifestam uma enorme revolta pelo facto de sentirem que, por razões economicistas, o Governo pretende acabar com um serviço, “a todos os níveis, exemplar”.
“Há quatro anos que me desloco com frequência ao Hospital, a minha mulher teve de deixar de trabalhar e o meu filho, que teve a um cancro nos rins, vai precisar de tratamentos constantes. Está a ver o que é obrigarem-nos a uma mudança sem garantias”, salientou Miguel Bandeira.
Ontem, recolheram mais de cem assinaturas para enviar ao Governo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)