Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

“Não há dúvidas da vossa culpa”

A acusação agarrou nestas pessoas por atacado e desatou a acusar trabalhadores da mesma forma que acusou donos das empresas", disse ontem o juiz Rui Teixeira, criticando o Ministério Público, antes da leitura do acórdão do processo de contrabando e introdução fraudulenta de álcool no mercado.

11 de Novembro de 2011 às 01:00
Arguidos e advogados saíram ontem do Tribunal de Sintra sem fazer comentários
Arguidos e advogados saíram ontem do Tribunal de Sintra sem fazer comentários FOTO: Bruno Colaço

Os quatro principais arguidos, membros da família Calhau e da sociedade Calhau & Ferreira, foram condenados por introdução fraudulenta no consumo e co--autoria dos crimes de fraude fiscal – que terão penalizado o Estado em 78 milhões de euros –, a penas de prisão entre quatro a cinco anos, suspensas sob condição do pagamento ao Fisco de mais de 72 milhões de euros. A maior parte dos 98 arguidos foram absolvidos.

De fora ficou o crime de associação criminosa: "Aqui não há associação criminosa. O Ministério Público perdoar-nos-á mas não tem razão ao acusar estas pessoas e pegar à pazada em toda esta gente e pedir uma indemnização cível", disse Rui Teixeira, conhecido por ter sido o juiz de instrução do processo Casa Pia.

No final, o juiz falou para os condenados: "Se não têm noção do que fizeram ou que nada fizeram, recorram. Se não, não o façam porque não temos dúvidas da vossa culpa. Apropriaram-se de dinheiro que não era vosso e que fez falta a muita gente". A defesa recusou fazer comentários.

SINTRA BURLA CONTRABANDO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)