Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

NEGLIGÊNCIA NA ORIGEM DE DERRAME NO SADO

O derrame de crude no estuário do Rio Sado, ocorrida na passada semana, foi provocado por negligência, segundo as conclusões da inspecção ordenada pelo Ministério do Ambiente.
11 de Novembro de 2004 às 15:23
A inspecção conclui ainda ter-se verificado negligência na detecção da fuga, a qual, recorde-se, só ocorreu quando o derrame já tinha atingido a bacia do Sado, através da conduta dos esgotos pluviais.
O derrame de crude no rio Sado foi detectada na quinta-feira passada, por um elemento da administração do porto de Setúbal. A descoberta foi ocasional e o acidente foi provocado pela empresa de betuminosas Mota Pereira & Martins. Dois dias depois a empresa assumiu que o derrame se deveu à negligência de um funcionário que não terá fechado a torneira de escoamento de uma bacia de retenção.
Os resultados da inspecção mostram que não só houve negligência no derrame como também na sua detecção, já que a empresa deveria ter comunicado às autoridades o acidente logo que ele ocorreu.
O resultado das amostras de água recolhidas no local do derrame pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) de Lisboa e Vale do Tejo devem ser conhecidos na sexta-feira.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)