Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

NOITE DE INFERNO NA SERRA DE TAVIRA

O incêndio que deflagrou na quarta-feira de manhã na Serra de Tavira alastrou durante a madrugada ao vizinho concelho de Vila Real de Santo António. Desde o final da tarde e durante toda a noite, diversas habitações tiveram de ser evacuadas e viveram-se momentos de grande aflição naquela serra algarvia.
1 de Julho de 2004 às 10:18
No sítio dos Estorninhos, uma residente local testemunhava esta manhã à repórter da Rádio TSF o horror vivido desde ontem à tarde. “As pessoas juntaram-se todas, com baldes, para tentar salvar as casas. Quando chegou a noite já nada mais puderam fazer. Arderam casas com comida para animais. Está tudo ardido. As pessoas não têm onde cultivar”, desabafou a mulher, transbordando na voz a emoção de uma noite infernal.
Portugal estava em festa pela vitória no futebol, ao mesmo tempo que as populações na Serra de Tavira viviam momentos de horror. Durante toda a noite, cerca de 160 bombeiros de Faro e de Beja combateram as chamas na serra, sem conseguir evitar que o incêndio alastrasse a terrenos do vizinho concelho de Vila Real de Santo António. A Via do Infante foi cortada por diversas vezes ao trânsito, desde ontem e ainda esta manhã, pelo que se aconselha os automobilistas a optarem pela Nacional 125.
Pela manhã, com a luz do dia, puderam entrar em acção duas aeronaves e partiram reforços de Lisboa, Leiria e Portalegre, previstos chegar ao teatro de operações pelas 11h00. Mas um comandante de bombeiros no terreno disse à Rádio TSF, pelas 10h00, que o incêndio estava controlado, subsistindo apenas alguns focos de perigo já devidamente referenciados, nomeadamente algumas habitações e núcleos habitacionais e um parque de sucata.
O comandante alertou, no entanto, para o facto de a subida da temperatura atmosférica ao longo da manhã constituir um factor adicional de risco, já para não referir o forte vento que desde ontem empurra as chamas contra a vontade e os esforços de populares e bombeiros.
Ver comentários