Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Noivos a caminho do altar

Amanhã é o grande dia para os 16 casais que vão unir as suas vidas com a bênção de Santo António. À medida que se aproxima a hora do ‘sim’, cresce o nervosismo. "Nem tenho dormido bem nestes últimos dias. Estou muito nervosa e ansiosa. Quero que tudo corra muito bem", confessa Sónia Sousa, que vai casar-se com Nuno Marques. "Também estou um bocadinho nervoso, mas quando chegar o grande momento vamos superar a ansiedade", diz Nuno.

11 de Junho de 2008 às 00:30
Os  casais vão unir amanhã as suas vidas com a bênção de Santo António
Os casais vão unir amanhã as suas vidas com a bênção de Santo António

Linda Pinto, que vai casar-se com Martinho Dias, também está nervosa e só deseja que "tudo corra bem". Mais calma está Maria Manuela, que vai dar o nó com Edgar. A sua preocupação é não tropeçar no vestido de noiva.

Quatro grandes momentos vão marcar o dia. Pelas 12h00 começam as cerimónias no Museu da Cidade, onde cinco casais dão o nó pelo Registo. Às 14h20 dá-se início às cerimónias católicas na Sé Patriarcal, onde 11 casais se unem em matrimónio. O templo vai estar ricamente decorado com uma grande variedade de flores (margaridas, coroas imperiais, cravos, frésias).

À saída os casais são brindados com uma actuação dos Toca a Rufar. Como a tradição é para cumprir, as noivas mantêm o ritual e depositam flores junto à estátua de Santo António, padroeiro da cidade de Lisboa.

Segue-se o cortejo automóvel até à Estufa Fria, onde se realiza ocopo-d’água.

A festa termina em beleza com os casais a descerem a Avenida da Liberdade no desfile das Marchas Populares.

NOIVOS DE 1958 REENCONTRAM-SE

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, almoçou ontem com os primeiros noivos de Santo António, que se casaram em 1958. "É uma evocação muito bonita no ano em que se assinala os 50 anos dos primeiros casamentos reunir estes casais", disse o autarca ao CM. A 13 de Junho de 1958, 36 casais subiram ao altar da Sé de Lisboa e disseram convictamente o ‘sim’.

Volvido meio século, o almoço de ontem acabou por servir de pretexto para que muitos casais se voltassem a encontrar, entre abraços e beijos saudosos.

ESPERA-SE 300 MIL PARA VER AS MARCHAS

A organização das Marchas Populares de Lisboa (EGEAC) espera bater o recorde de assistência na Avenida da Liberdade. Se em 2007 marcaram presença mais de 200 mil pessoas, para este ano aguarda-se mais de 300 mil.

Para acautelar a segurança estão destacados cerca de 500 agentes da PSP, que também asseguram a ordem nos arraiais. Este contingente será reforçado por elementos das esquadras de investigação criminal, que vão ter os carteiristas debaixo de olho, segundo fonte policial. Face às elevadas expectativas no que se refere à assistência, a organização aconselha a que se chegue cedo (entre as 18h00 e as 19h00).

Na mira das vinte colectividades a concurso vai estar Alfama, a tetracampeã. Se nas exibições no Pavilhão Atlântico já se ficou com uma ideia dos argumentos de cada Marcha, é na Avenida da Liberdade que se joga os últimos trunfos.

PORMENORES

DESFILE

Começa às 20h45, do Marquês de Pombal até aos Restauradores.

TRÂNSITO

A faixa central da Avenida vai estar cortada a partir das 18h00 e as laterais às 20h00.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)