Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Norte quer mais turismo religioso

O Norte de Portugal dispõe de um património religioso que “é único no Mundo, pela variedade, quantidade e qualidade”. É o que garante Ruben Lois Gonzalez, director-geral do Turismo da Galiza e um entusiasta defensor de percursos turísticos envolvendo o património dos dois países, pondo os santuários de Compostela e de Fátima como pontos de referência.
4 de Outubro de 2007 às 00:00
Centro de Guimarães pode reforçar a afirmação do Norte ao nível do turismo cultural e religioso
Centro de Guimarães pode reforçar a afirmação do Norte ao nível do turismo cultural e religioso FOTO: Secundino Cunha
A ideia, que permitirá duplicar em poucos anos os turistas em espaços religiosos no Norte, tem vindo a ser trabalhada pela cooperativa de desenvolvimento do turismo cultural e religioso ‘Turel’, que esta noite dá início em Guimarães às Jornadas Luso-Galaicas, com o objectivo de reforçar iniciativas de cooperação entre os dois países nesta área.
Segundo Varico Pereira, director técnico da ‘Turel’, o Norte de Portugal, “com um património religioso que tem sido fortemente valorizado”, dispõe de todas as condições para sobressair entre dois dos maiores pólos mundiais do turismo religioso, como são Fátima e Compostela – cada um com seis milhões de visitantes por ano. Para além dos santuários de Sameiro, Bom Jesus e S. Bento da Porta Aberta, o Norte de Portugal pode ainda beneficiar da promoção de Guimarães como Património da Humanidade e capital europeia da cultura em 2012.
Ver comentários