Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

NOVA TÉCNICA DETECTA CANCRO DA MAMA

Um laboratório científico português vai desenvolver um método mais preciso de diagnóstico do cancro da mama, que poderá acabar com os numerosos falsos alarmes das técnicas actualmente disponíveis, disse à Lusa um dos especialistas envolvidos no projecto.
4 de Julho de 2002 às 00:03
Um diagnóstivo precoce do cancro da mama pode permitir uma redução considerável na mortalidade provocada por uma doença que, em Portugal, tem uma incidência que ronda os 60 novos casos por ano por 100 mil habitantes.

Um possível método alternativo, a desenvolver nos próximos três anos por portugueses, foi discutido em Lisboa, numa conferência internacional dedicada ao diagnóstico do cancro da mama baseado na tomografia por emissão de positrões.

As técnicas actualmente disponíveis para o diagnóstico do cancro da mama têm ainda muitas limitações, situação exemplificada pelo número de falsos positivos detectados pelas mamografias de raios X, entre 60 a 85 por cento.

A nova tecnologia foi desenvolvida no Laboratório Europeu de Partículas Físicas e experimentada em ratinhos de laboratório para a detecção de várias formas de cancro. O trabalho, desenvolvido em Portugal através do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas, é o da melhoria da técnica e sua aplicação ao diagnóstico do cancro da mama. O objectivo é criar um aparelho de diagnóstico baseado na tomografia por emissão de positrões e exclusivamente dedicado ao cancro da mama. "O objectivo é ter, daqui a três anos, um primeiro instrumento que possa ser testado nos hospitais", disse.

O dispositivo deverá ser mais pequeno, adaptado à morfologia do seio, e menos dispendioso que os utilizados presentemente para o corpo inteiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)