Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Nove anos de cadeia para ladrão que fugiu do tribunal

Um homem, de 31 anos, foi ontem condenado pelo colectivo de juízes do Tribunal de Viseu a a nove anos e meio de cadeia por oito crimes de roubo, sequestro, furto qualificado, resistência e coacção e ofensa à integridade física (por ter baleado um militar da GNR). Fernando Ferreira – considerado reincidente por já ter sido condenado por crimes semelhantes – ficou conhecido por ter conseguido fugir do tribunal após o interrogatório judicial.
19 de Julho de 2007 às 00:00
O arguido condenado por roubo, sequestro e ofensas à integridade física fugiu após ter sido sujeito a primeiro interrogatório judicial
O arguido condenado por roubo, sequestro e ofensas à integridade física fugiu após ter sido sujeito a primeiro interrogatório judicial FOTO: Luís Oliveira
O tribunal deu como provados três crimes de roubo – um na forma tentada –, dois crimes de sequestro, um de furto qualificado, um de resistência e coacção sobre funcionário e um crime de ofensa à integridade física qualificada. Em cúmulo jurídico foi condenado a nove anos e meio de prisão.
O arguido, que na altura era consumidor de heroína e está detido na cadeia de Coimbra, terá ainda de pagar às vítimas dos crimes 3700 euros por danos não patrimoniais, 2500 por danos patrimoniais e ainda 124 euros ao Hospital de S. Teotónio.
O presidente do colectivo de juízes salientou o “elevado grau de ilicitude dos factos” e o facto do arguido não ter mostrado “qualquer sincero arrependimento”. “Foi pena que tivesse desperdiçado o tempo que já tinha passado na cadeia e a estabilidade profissional que tinha em França”, disse o juiz, adiantando que as vítimas “passaram momentos terríveis”. O arguido ficou descontente com a pena e no final insurgiu-se contra o juiz: “Se fosse homicídio, se calhar a pena não era tão alta”, gritou.
Os factos remontam a Maio e Junho no ano passado. O sujeito tinha assaltado – encapuzado e sob ameaça de uma arma – três residências (na Aguieira e Orgens) e o Núcleo de Viseu Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral, local onde viria a ser capturado pela GNR. A detenção revelou-se complicada e obrigou a uma intensa luta corpo a corpo entre o assaltante e os guardas. Na refrega, o indivíduo conseguiu apanhar a arma dos militares e feriu um numa perna.
As peripécias do assaltante continuaram no dia seguinte quando, após ter sido interrogado pelo juiz do Tribunal de Viseu, conseguiu escapar aos guardas que o vigiavam. Os militares encetaram a perseguição, ainda dispararam vários tiros para o ar, mas o fugitivo não se intimidou. Só parou quando caiu num silvado.
PORMENORES
ANTECEDENTES
O arguido é um velho conhecido das autoridades policiais da de Viseu. Já tinha cumprido cinco anos de prisão efectiva por crimes de furtos e roubos.
RECURSO
No final da sessão de ontem o advogado de defesa disse que ia analisar “com cuidado” o acórdão e só depois decidirá se recorre ou não da decisão.
IMPUTÁVEL
Fernando Ferreira foi sujeito a exames periciais que o consideraram imputável.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)