Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Número de feridos graves triplica em relação a 2005

Nove pessoas ficaram feridas com gravidade quinta-feira, nas primeiras 24 horas da ‘Operação Páscoa’ da Brigada de Trânsito da GNR, três vezes mais do que no ano passado (em que se registaram três feridos graves). Até ao final do dia de ontem, segundo dia de operação, aquele número tinha já subido para 14 feridos. No mesmo período, a BT registou apenas uma morte .
15 de Abril de 2006 às 00:00
O segundo dia da ‘Operação Páscoa’ da Brigada de Trânsito da GNR terminou com uma morte
O segundo dia da ‘Operação Páscoa’ da Brigada de Trânsito da GNR terminou com uma morte FOTO: Arquivo CM
“Apesar de ter havido algum trânsito durante a manhã, o dia decorreu de forma tranquila”, explicou ontem ao CM fonte da BT. Na A1, as obras causaram alguma demora na circulação nas zonas de Santarém e Torres Novas. Mais a Norte, um incêndio numa sucata automóvel em Santa Maria da Feira, pelas 09h00, lançou sobre a A1 nuvens de fumo que dificultaram a condução. No entanto, e de acordo com a BT, a circulação não chegou a ser afectada.
À tarde, a tranquilidade no comando da BT, em Lisboa, foi perturbada devido à ocorrência de quatro acidentes que provocaram cinco feridos graves: em Vila Meã, em Faro, em Guimarães, e em Santa Cruz, neste caso com duas vítimas.
Entre as 00h00 de quinta-feira e as 20h00 de ontem, a BT registou 313 acidentes, de que resultaram 14 feridos graves, 77 feridos ligeiros e nenhuma vítima mortal. Só depois dessa hora se registou um caso fatal. No ano passado, o segundo dia de operação terminou de forma trágica com oito mortes. Os 260 acidentes provocaram ainda 10 feridos graves e 89 feridos ligeiros.
A ‘Operação Páscoa’, cujos resultados são actualizados às 24h00 de cada dia, termina à meia-noite de segunda-feira. Na estrada estão mais de dois militares da Brigada de Trânsito, unidades territoriais e dos regimentos de Infantaria e de Cavalaria da GNR.
As manobras perigosas, o excesso de velocidade e a condução sob o efeito do álcool merecem especial atenção por parte das autoridades, que apostam numa estratégia de visibilidade e prevenção.
PSP NA RUA NO PORTO E ALGARVE
O caso mais flagrante da operação ‘Páscoa em Segurança’ da Divisão de Trânsito da PSP do Porto, que terminou ontem às duas da manhã, foi o de um condutor que circulava a 146 km/h na Circunvalação, onde o máximo permitido é de 50 km/h.
Durante doze horas – das 14h00 às 02h00 – 60 agentes da PSP e 20 elementos do Corpo de Intervenção fiscalizaram 2500 viaturas na cidade do Porto: sete pessoas foram detidas, cinco por condução ilegal e duas por condução sob o efeito do álcool. Foram levantados 250 autos, apreendidas 15 viaturas e 102 documentos e apurados 23 000 euros em multas.
No Algarve, a PSP fez o mesmo tipo de trabalho em seis cidades, efectuando quatro detenções: uma por posse de droga, duas por condução sob efeito do álcool e uma por guiar sem carta. Foram fiscalizadas 433 viaturas, uma das quais acabou por ser apreendida. Ocorreram cinco acidentes, que fizeram um ferido ligeiro.
OS NÚMEROS DAS ESTRDAS ATÉ ÀS 20h00
1 morto (registado num acidente após as 20h00)
9 feridos graves
23 detidos por falta de carta e excesso de álcool
77 feridos ligeiros
313 acidentes
571 condutores em excesso de velocidade
2.381 condutores fiscalizados
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)