Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Nunca se apostou tanto como este ano

O ministro da Administração Interna reconheceu ontem que o Estado “nunca apostou tanto” no combate aos fogos florestais “como este ano”, mas mesmo assim pede um “grande esforço” a todos, até porque se antevê “um Verão complicado”.
2 de Julho de 2007 às 00:00
Rui Pereira inaugurou ontem o quartel dos bombeiros de Mangualde
Rui Pereira inaugurou ontem o quartel dos bombeiros de Mangualde FOTO: Nuno André Ferreira
Rui Pereira esteve ontem em Mangualde, onde inaugurou o novo quartel dos bombeiros locais, uma obra no valor de 1,5 milhões de euros, que demorou quatro anos a construir e resultou de uma parceria entre o poder central, autarquia e privados.
Referindo-se à Fase Charlie – a de maior perigo no combate aos incêndios – o governante afirmou que está “tudo preparado” para o ataque às chamas, salientando que “nunca o País teve tantos meios à disposição como este ano”. Nesta altura temos nove mil homens prontos para o trabalho e 49 meios aéreos – aguarda-se a chegada de mais três”, enumerou o ministro.
Sobre a Fase Bravo, que decorreu entre 15 de Maio e 30 de Junho, Rui Pereira afirmou que “foi francamente positivo”, reconhecendo que as favoráveis condições climatéricas que se registaram “foram preponderantes”. “Temos contado com São Pedro co-mo um agente de Protecção Civil”, gracejou o ministro da Administração Interna, chamando no entanto a atenção para o “Verão complicado” que se avizinha. “Espero que tudo corra bem. Apelo ao esforço de toda a gente porque a defesa da floresta depende todos”, concluiu.
Quanto ao quartel dos bombeiros de Mangualde que ontem inaugurou, Rui Pereira referiu que é “uma obra exemplar” porque resulta “de uma parceria de sucesso. O poder central contribuiu com 40 por cento do valor da obra e o restante foi da responsabilidade da autarquia e instituições privados”, afirmou o governante.
O novo quartel dos bombeiros de Mangualde foi projectado há cerca de uma década mas a sua construção decorreu nos últimos quatro.
A obra tem ainda a particularidade de ter contado com o trabalho voluntário dos próprios bombeiros, que em muitos casos trocaram as ambulâncias e as agulhetas pelas carretas e pá de trolha. “Agora sim, temos grandes condições de trabalho”, desabafou ontem Carlos Carvalho, comandante dos Bombeiros de Mangualde, salientando que o quartel, que dispõe de um heliporto, “possibilita uma melhor operacionalidade”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)