Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

NUNO LEOCÁDIO: VOU DEIXAR DE BEBER

Agora “acabou tudo”, explicou ontem ao CM o jovem Nuno Leocádio, 26 anos, que nos últimos quatro meses foi detido quatro vezes pela GNR por conduzir embriagado.
20 de Outubro de 2002 às 00:01
A última noite em que o jovem afirma ter bebido muito “entre cerveja, vinho e brandy” foi na quinta-feira. Já de madrugada, Nuno Leocádio, que conduzia o seu veículo, na companhia de um amigo, não conseguiu controlar o carro e, no final da avenida da Paz, Serpa, despistou-se na rotunda, vindo a embater violentamente no repuxo existente no centro.

O jovem, que já estava proibido de conduzir por decisão da justiça, incorre agora numa pena de pelo menos um ano e um mês. “Felizmente não aconteceu nada a qualquer dos dois”, explicou o rapaz, ao recordar o acidente que ocorreu às 4h00. “Mas fiquei consciente que agora acabou tudo, o carro ficou irrecuperável, não tenho carta de condução e corro o risco de ser preso”, desabafou, garantindo: “Vou deixar de beber”.

Na sequência deste acidente, Nuno Leocádio - que no passado mês de Julho obteve a maior taxa de alcoolemia (4,97) até então registada pela Direcção Geral de Viação (DGV) - foi interceptado pela GNR, tendo-lhe sido detectado 4,11 gramas de álcool por litro de sangue. “Não posso continuar assim, já não vou abusar”, referiu Nuno Leocádio que, no entanto, entende não necessitar do apoio do médico de família para resolver o problema de consumo excessivo de álcool.

“SINTO-ME UM PERIGO”

Detido por conduzir embriagado, Nuno Leocádio compareceu no Tribunal de Serpa, na manhã de quinta-feira, tendo sido condenado a uma pena de seis meses e quinze dias de prisão efectiva.

O jovem considera a pena excessiva e até à próxima semana irá recorrer da sentença. Contudo, Nuno Leocádio incorre agora numa pena de pelo menos 13 meses, isto porque em julgamento anterior foi condenado a sete meses de prisão, com pena suspensa de três anos. A sentença do Tribunal de Almodôvar resultou de numa “Operação Stop” na Auto-estrada 2, o jovem ter acusado 2,18 gr/lt. A 29 de Setembro, Nuno Leocádio voltou a chumbar no teste do balão, em Serpa, com 4,34 de taxa.

“A proibição de conduzir por um período de quatro anos, bem como a obrigatoriedade de efectuar um novo exame de condução” foram igualmente apontadas, por Nuno Leocádio, como dois outros pontos da sentença.

O jovem de Serpa está ainda obrigado a comparecer, de seis em seis meses, na DGV a fim de efectuar testes. A decisão do tribunal teve em conta um exame psicológico efectuado por Nuno Leocádio na DGV, em Lisboa, no passado dia 20 de Setembro. Na altura o jovem afirmou: “Sinto-me um perigo”.

A desabituação do álcool é, contudo, uma tarefa difícil. O internamento no Hospital Miguel Bombarda, enfermaria de Alcoologia, dura quatro semanas, precedido de informação sobre a doença do alcoolismo. “O melhor que o senhor Leocádio tem a fazer é iniciar desabituação”, aconselhou o enfermeiro Eduardo Pessela, do Miguel Bombarda, adiantando que, no caso daquela unidade hospitalar, o internamento deve ser solicitado no Curry Cabral.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)