Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

O maior jackpot de sempre

O valor do primeiro prémio, segundo a Misericórdia de Lisboa, pode chegar aos 70 milhões de euros. Apostas fecham hoje às 19h00.
8 de Julho de 2005 às 00:00
70 milhões de euros em jogo provocam uma corrida ao jogo.
70 milhões de euros em jogo provocam uma corrida ao jogo.
É o maior prémio de sempre atribuído num loto na Europa. Hoje, o sorteio dos cinco números e dos dois suplementares poderá valer um prémio de cerca de 70 milhões de euros, caso a sorte dite um totalista.
A previsão inicial apontava para um primeiro prémio no valor de 69 milhões de euros. Mas o director do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Fernando Paes Afonso, estima que o jackpot atinja os “70 milhões de euros”, perante o acréscimo de apostas.
Para engrossar o número de registos, esta semana é possível, pela primeira vez, jogar no loto europeu através da internet. A inovação, acessível ‘on-line’ através do endereço www.jogossantacasa.pt, fez já disparar a média de apostas diárias, segundo apurou o CM junto da Santa Casa.
“Na segunda-feira, primeiro dia em que foi possível jogar no Euromilhões por ‘on-line’, a receita diária, que é de 20 mil euros, subiu para 70 mil euros”, disse Paes Afonso. O responsável pelos jogos acrescentou que “apesar de o Euromilhões receber a fatia de leão, também os outros jogos sociais subiram no número de apostas”.
FEBRE DO DINHEIRO
Em média, cada português joga semanalmente 1,3 euros no Euromilhões. O valor mais alto entre os nove países participantes: Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Bélgica, Áustria, Irlanda, Suíça e Luxemburgo.
Numa avaliação do êxito do jogo entre nós, a Santa Casa concluiu que “este resulta da dimensão do primeiro prémio e por o jogo estar isento de tributação de IRS”. Paes Afonso defendeu que igual modelo deveria ser adoptado nos restantes jogos explorados pela instituição. “A perda de receitas por parte do Estado proveniente da possível não tributação dos jogos seria menor que as receitas das apostas cujos prémios fossem mais valiosos”.
Um outro efeito positivo do êxito do jogo é, segundo Paes Afonso, a consequente diminuição de jogo clandestino. “Existiam redes organizadas de pessoas que semanalmente se deslocavam a Espanha para jogarem, porque o valor dos prémios é mais elevado que os de Portugal. Com a entrada do Euromilhões, muito desse jogo clandestino deixou de fazer sentido para os apostadores”, disse a mesma fonte.
RECEITAS SOBEM
Na semana em que se joga para o maior jackpot de sempre, com as apostas a fecharem hoje pelas 19h00, o Euromilhões poderá concretizar um outro recorde em termos de receitas. O valor mais alto até hoje obtido foi a 8 de Abril último, quando na Suíça um casal de emigrantes portugueses arrecadou 64 milhões de euros. O Euromilhões contabilizou então 93 milhões de euros de receitas, 24 dos quais obtidos em Portugal. Nessa semana foram registadas no nosso país mais de 12 milhões de apostas, um valor que Paes Afonso espera ver hoje ultrapassado.
ÚLTIMOS GRANDES PRÉMIOS FORAM PARA PORTUGUESES
Portugueses receberam os últimos quatro grandes prémios atribuídos no Euromilhões. A última vez que o loto europeu fez um português multimilionário, e já lá vão sete semanas, foi a 20 de Maio último. O sorteio ditou os números de um jogador que apostou no Pragal, em Almada.
A churrasqueira Estrela d’Alva fora então a casa da sorte para este totalista que arrecadou 43 milhões de euros e que pouco tempo depois reclamou o prémio junto da Santa Casa. Antes de a sorte cair em Almada, um outro português, desta vez da Madeira, acertava a 22 de Abril nos cinco números e nas duas estrelas. O estabelecimento ‘A Cabana do Jardim’ registou o boletim que valeu 11,8 milhões de euros.
Na Suíça, um outro totalista recebia a outra metade do prémio de 23,6 milhões. O jackpot anterior com totalista ocorreu a 8 de Abril. Na pequena localidade suíça de Sierre, um casal de jovem emigrantes de Seia ganhou 64 milhões de Euros. No jackpot anterior, um outro português recebeu dez milhões. O registo ocorreu na Casa Campião, a 18 de Fevereiro último.
CURIOSIDADES
MILIONÁRIOS EM FUGA
Em Novembro último, dois jovens casais de Moreira de Cónegos (Guimarães) repartiram 43 milhões de euros. Foi o primeiro Euromilhões ganho em Portugal. Temendo o rapto de algum familiar, os milionários abandonaram a terra. Em entrevista ao CM um deles confessou: “O dinheiro é uma ajuda, mas também pode ser uma desgraça”.
ACIDENTE DE FERRARI
Um outro jovem casal de emigrantes naturais de Seis arrecadou 64 milhões na Suíça. A sua identidade nunca foi revelada. Contudo, circulou um boato, entretanto desmentido por familiares e amigos, de que o jovem de 38 anos tinha comprado um Ferrari e a caminho do Algarve sofrera um acidente mortal.
À PANCADA
Dois homens envolveram-se à tareia, a 1 de Julho último, quando pretendiam registar o boletim do Euromilhões num quiosque de Marzovelos, em Viseu. O caso verificou-se cinco minutos antes das 19h00, altura em que fecham os terminais. Perante uma extensa fila, um dos homens registava vários boletins de dois euros.
SONHO AMERICANO
Vários portugueses emigrados nos Estados Unidos foram bafejados pela sorte. Em Setembro último, António Fonseca, de 64 anos, natural da Beira Baixa, ganhou 11,5 milhões de euros na lotaria de Nova Iorque. Em Abril de 2002, o transmontano Joaquim Benedito arrecadou 3,2 na Lotaria Instantânea. Jorge Lopes, estabelecido em Nova Jérsia, ganhou 47,3 milhões no Big Game.
"JOGO É REFÚGIO PARA CRISE NACIONAL"
O êxito do Euromilhões em Portugal surge, em parte, “pela falta de confiança no País e ausência de um horizonte luminoso”, disse ao CM o neuropsicólogo Nélson Lima, presidente do Instituto de Inteligência do Porto. “As pessoas envolvem-se no jogo perante a crise do País”, acrescentou. Nélson Lima sublinha que “o jogo é uma característica de todos os mamíferos superiores pelo seu factor de sociabilização”. “Entre os humanos, o prazer de jogar é ainda aguçado pela componente de risco e da imaginação”, diz.
Nelson Lima explica que as pessoas depois de se tornarem euromilionárias têm necessidade de encontrar um refúgio. “Conquistado o prémio, primeiro surge a surpresa, depois torna-se perceptível a existência de uma nova realidade e a necessidade de redefinir o futuro”, disse. “Por regra, nos primeiros tempos, as pessoas precisam de isolamento para prepararem as suas defesas, reflectirem bastante sobre o passado e o futuro e protegerem-se dos oportunistas”, precisou.
200 MILHÕES EM PRÉMIOS
O Euromilhões já distribuiu entre pequenos e grandes prémios mais de 200 milhões de euros pelos portugueses, desde a adesão do nosso país em Outubro último. Portugal representa 25 por cento das receitas do loto europeu. Verdadeira galinha de ovos de ouro, o Euromilhões totalizou metade das receitas dos jogos da Santa Casa que no último ano foram de 1400 milhões de euros. A redução das despesas e o aumento das receitas permitiram à Santa Casa, em apenas três anos, acabar com um prejuízo de 77 milhões de euros e fechar as contas em 2004 com um saldo positivo de 90 milhões.
Ver comentários