Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Obras prejudicam comércio

O atraso das obras de requalificação da Praça Luís de Camões, na Guarda, um projecto do Polis, está a deixar desesperados os comerciantes da zona, que se queixam de prejuízos que em alguns casos atingem os 50 por cento.
1 de Maio de 2005 às 00:00
Obras atrasadas na Guarda
Obras atrasadas na Guarda FOTO: Paulo Santos Pereira
De acordo com José Borges, da Associação de Comerciantes da Zona Histórica da Guarda, a situação “é mais grave do que aparenta”. “Se ninguém tem culpa de terem sido encontrados os achados que fizeram atrasar as obras, o mesmo não se pode dizer relativamente à retirada dos 150 lugares de estacionamento”, afirma aquele responsável, acrescentando: “Se não houver estacionamento, os clientes fogem para outras zonas. Estamos a ter prejuízos na ordem dos 50 por cento.”
“Se não tivessem aparecido os vestígios arqueológicos – 30 ossadas humanas –, as obras tinham ficado concluídas em Março”, disse António Saraiva, director executivo do Polis-Guarda, salientando que “no final de Junho a praça vai ser devolvida aos comerciantes e guardenses que, depois de verem o trabalho concluído, vão ficar satisfeitos”.
Ver comentários