Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Ocupantes de autocarro retido em Bragança devido a caso positivo de coronavírus já puderam regressar a casa

Viajantes ficam em vigilância.
Tânia Rei 10 de Maio de 2020 às 17:50
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Passageiro de autocarro com 20 pessoas sente-se mal em Bragança e dá positivo para coronavírus
Regressaram este domingo a casa os passageiros do autocarro que tinha partido de Lisboa em direção a França, com 23 pessoas a bordo, e que este sábado à noite ficou retido em Bragança depois de um passageiro de 55 anos ter se ter sentido mal e ter testado positivo para a Covid-19. Os passageiros, trabalhadores agrícolas, estavam a ir para para a região de Paris. Um segundo autocarro da mesma empresa e que tinha o mesmo destino, com 18 pessoas a bordo, já estava em território espanhol e voltou para trás para os passageiros serem também avaliados. Não há registo de mais casos positivos. Os viajantes ficam em vigilância.

Durante a noite de sábado e madrugada de domingo, os passageiros foram avaliados pelos profissionais e pelas autoridades de saúde, no hospital de Bragança, afeto à Unidade Local de Saúde do Nordeste. Um dos motoristas dos autocarros também foi submetido ao teste, segundo apurou o CM, mas o resultado foi negativo e acabou teve alta hospital este domingo de manhã.

Uma vez que os passageiros seguiam com as devidas precauções de segurança, mantendo o distanciamento social no autocarro, que seguia com lotação reduzida, e fazendo o uso da máscara, as autoridades de saúde deram indicações para que os passageiros regressassem aos pontos de origem, onde vão ficar em autoviligância.

A Proteção Civil Municipal foi também ativada. Segundo explicou o presidente da Câmara, Hernâni Dias, foi fornecida "uma refeição aos passageiros, uma vez que não podiam sair do autocarro", mas não houve necessidade de disponibilizar lhes disponibilizar dormida nas infraestruturas que estão acauteladas na cidade para casos de necessidade durante esta pandemia, já desde abril. Ao que apurou ainda o CM, o doente infetado já foi transferido para um hospital na área de residência, na zona de Lisboa. 

O homem de 55 anos, da zona de Lisboa, começou a sentir-se mal na viagem, perto de Bragança. O motorista da viatura parou o autocarro à entrada da cidade e chamou os bombeiros, por volta das 19h:"Como manda o protocolo, transferimos imediatamente o INEM. O motorista falou com o INEM.", começa por explicar o comandante dos bombeiros de Bragança, José Fernandes. A conclusão foi que "a situação não justificaria o acionamento de uma viatura INEM", avança ainda José Fernandes. Assim sendo, o transporte do passageiro foi feito pelos bombeiros, "com as devidas medidas de segurança". Comunicaram também a situação à PSP, que depois escoltou o autocarro até à unidade hospitalar e que tomou conta da ocorrência.

O passageiro suspeito, que depois testou positivo, "estava calmo, estável e colaborante", refere ainda José Fernandes. Apresentava alguma tosse e ligeiras dores no peito.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus

- Siga ao minuto as últimas sobre a doença
Mapa da situação em Portugal e no Mundo: veja a evolução da pandemia
- Conselhos sobre o coronavírus no explicador
- Conheça os mitos que deve ignorar sobre a doença

Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24

Bragança Covid-19 Lisboa França Paris INEM José Fernandes questões sociais política acidentes e desastres
Ver comentários