Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Onda de solidariedade

A Redacção e o ‘site’ do CM encheram-se ontem com uma enorme onda de solidariedade para com a família do pequeno Ruben, de três anos, que sofreu queimaduras profundas no rosto, ombro, braço e parte das costas na sequência de um acidente doméstico há um ano.
28 de Novembro de 2006 às 00:00
Desde então a vida desta família de Ovar, que tem mais dois filhos – um deles gémeo de Ruben e que tem alergia à sacarose, sendo obrigado a uma alimentação especial – tem sido um verdadeiro calvário. A mãe, Rosa Valente, teve de acompanhar o filho durante os dois meses em que esteve internado no Centro Hospitalar de Gaia. Quando o menino regressou a casa, em Janeiro deste ano, a mãe foi obrigada a deixar o emprego para poder acompanhá-lo diariamente à fisioterapia necessária para recuperar a mobilidade do braço esquerdo.
Os cerca de 600 euros mensais que o marido, António Valente, ganha na empresa de cablagens Yazaky Saltano não chegam para pagar os 320 euros da prestação da casa que compraram na cooperativa habitacional Habitovar – e também a água, luz, gás e alimentação e tudo o resto necessário para o dia-a-dia. Há ainda a camisola especial de Ruben, feita à base de lycra, com aplicações em silicone, para proteger e hidratar as queimaduras que “ainda estão muito verdes”. Neste momento a nova camisola, feita por encomenda e comercializada por uma casa da especialidade em Lisboa, ainda não chegou. Por isso, Ruben é obrigado a andar sem essa protecção essencial, porque a que tinha já não serve.
“Como ele está em crescimento, a camisola só lhe serve durante dois meses”, explica a mãe. Esta camisola tem um custo de 308 euros e não é comparticipada.
Ontem, depois de “muitos telefonemas”, Rosa Valente já encontrava mais motivos para sorrir. “Têm-me ligado pessoas de todo o lado, uns querem vir aqui, outros dizem que me vão ajudar com coisas que irão enviar pelo correio”, disse emocionada a ex-empregada de armazém da Nestlé. “Tudo o que me puderem dar aceito, porque eu preciso de tudo, desde roupa, calçado, cereais, enfim, o que vier é sempre bem-vindo”, diz a mãe.
Rosa Valente sonha com a recuperação do filho e garante que, quando ele melhorar, “nem que vire o mundo, mas vou arranjar um emprego, porque nunca fui mulher de ficar em casa”.
AJUDAS
CARRO DO 'NODDY'
A leitora Leonor Azevedo despertou para o caso através da edição ‘on-line’ do Correio da Manhã. Lembrou-se da felicidade da filha e quer oferecer um carro telecomandado do ‘Noddy’ ao Ruben e outro ao irmão gémeo “para não haver discussões”.
DA SUÍÇA
Foram muitos os leitores que nos contactaram, por telefone e por correio electrónico, ou por mensagens no nosso ‘site’, para saberem como poderiam ajudar a família do Ruben. Entre eles, dois leitores que são emigrantes na Suíça.
CONTA
No caso de querer enviar alguma ajuda financeira, as verbas podem ser depositadas na conta da família, cujo NIB é: 0033 0000 0015 4384 0370 5. A morada da família Valente é a seguinte: Rua Agostinho da Silva, Entrada 6, 1.º Esquerdo, 3880 - 150 Ovar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)