Orlando Figueira condenado a seis anos e oito meses de prisão na Operação Fizz

Leitura do acórdão acontece esta sexta-feira. Magistrado condenado por aceitar subornos de Vice-Presidente angolano.
Por Débora Carvalho|07.12.18
Orlando Figueira foi esta sexta-feira condenado a seis anos e oito meses de prisão efetiva, no processo da Operação Fizz. Armindo Pires foi absolvido. Já Paulo Blanco, advogado, foi sentenciado a quatro anos e quatro meses, com pena suspensa. 

Orlando Figueira foi ainda condenado a pena acessória de inibição de funções por cinco anos.

O tribunal deu como provado que o magistrado do Ministério Público recebeu contrapartidas de Manuel Vicente, ex-vice-presidente de Angola, para arquivar processos em que este estava implicado na Justiça portuguesa. Os juízes deram como provado que o ex-magistrado do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) cometeu corrupção passiva qualificada, branqueamento de capitais, violação do segredo de justiça e falsificação de documentos, condenando-o ainda a proibição de funções na magistratura durante cinco anos, num caso que envolve arquivamento de processos.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!