Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

“Não se cala a Imprensa, cala-se o povo”: Relação de Lisboa dá razão ao CM

Ivo Rosa devia ter deixado os jornalistas manterem-se assistentes no caso que tem ex-primeiro-ministro José Sócrates como principal arguido.
Tânia Laranjo e Carlos Rodrigues(carlosrodrigues@cmjornal.pt) 13 de Outubro de 2020 às 20:02
Ivo Rosa
Ivo Rosa FOTO: Lusa
O juiz Ivo Rosa devia ter deixado os jornalistas manterem-se como assistentes e assistir ao processo Marquês que tem o ex-primeiro-ministro José Sócrates como principal arguido.

A decisão é da Relação de Lisboa e num acórdão, escrito pelo juiz Ricardo Cardoso, cita-se mesmo um poeta inglês do século XVIII.

"Como exemplar e lapidarmente afirmado por William Blake, quando a imprensa não fala, o povo é que não fala. Não se cala a imprensa, cala-se o povo".

A decisão é relativa aos jornalistas Sérgio Azenha, do Correio da Manhã; Felícia cabrita, do Sol e Luís Rosa, do Observador. Para já, não se sabe se haverá qualquer consequência para a Instrução que terminou no início do ano.
Processo Marquês José Sócrates Ivo Rosa política liberdade de imprensa
Ver comentários