Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Ordem não irá punir os médicos

O bastonário dos Médicos, Pedro Nunes, afirmou ontem que os médicos que venham a realizar abortos, caso a despenalização venha a ser aprovada na sequência do referendo, não vão ser alvo de medidas punitivas por parte da Ordem.
23 de Outubro de 2006 às 00:00
Pedro Nunes, que falava no programa da Rádio Renascença ‘Diga Lá Excelência’, deu como exemplo o que sucedia em Portugal antes da aprovação da lei que regula a interrupção da gravidez: “Antes do 25 Abril e da lei 3 de 1984, a legislação portuguesa proibia qualquer forma de aborto, mesmo quando estava em risco a vida da mulher ou malformação grave do feto que não fosse compatível com a vida. Nessa altura, os médicos que fizessem o aborto arriscavam a prisão.”
Pedro Nunes sublinha que os clínicos que aceitem a solicitação de uma grávida para a interrupção da gravidez contarão com “a atitude crítica dos seus colegas”, mas a Ordem não irá aplicar penalidade de suspensão.
“As sociedades mudam os seus conceitos, os médicos dão testemunho da sua ética e adaptam-se à realidade onde vivem”, considera Pedro Nunes, que promove um debate com especialistas portugueses e estrangeiros a 2 e 3 de Fevereiro de 2007.
Ver comentários