Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

OURIVES E BORDADEIRAS

Assim como as grandes casas, habitadas pela fidalguia, marcaram os primórdios do bairro da Penha de França, também os ourives e as bordadeiras impuseram ali a sua presença, e de tal forma que protagonizam o tema "Artes na Penha" a apresentar este ano no Concurso das Marchas Populares de Lisboa.
3 de Junho de 2003 às 00:00
AS coreografias da Penha de França são fruto de trabalho colectivo
AS coreografias da Penha de França são fruto de trabalho colectivo FOTO: Natália Ferraz
"Os ourives marcaram sempre a tradição do nosso bairro e os seus trabalhos em filigrana eram muito apreciados. Tal como o eram os bordados de muitas mulheres que aqui moravam, sendo que algumas delas trabalhavam como serviçais nas casas dos fidalgos", recordou ao Correio da Manhã Carlos Oliveira, coordenador, letrista e ensaiador da marcha.
Após 12 participações como marchante, e face ao vazio criado pela saída da antiga comissão responsável, Carlos Oliveira aceitou o triplo desafio "por amor ao bairro" e também porque "o grupo é muito dedicado e colaborante".
"Só os fatos, cujo figurino é de Ana Saraiva, é que não são obra do grupo. Tudo o mais '- coreografia, arcos e adereços - é trabalho dos marchantes. E talvez porque a sua participação é mais alargada e diversificada, sinto neles uma motivação ainda maior", sublinhou.
Embora seja uma das marchas mais jovens, a Penha de França já conseguiu alguns resultados (3.º, 4.º e 6.º) de que se orgulha. E mesmo tendo como princípio que "o mais importante é desfilar", Carlos Oliveira considera: "Como é a minha primeira vez como ensaiador, e apesar de confiar numa boa prestação do grupo, penso que uma classificação até ao 10.º lugar já seria bom. Mas é claro que eles - e apontou para os marchantes - só pensam na vitória ou em alcançar o melhor resultado de sempre".
A Penha de França é a primeira marcha a apresentar-se ao público na noite de sábado, no Pavilhão do Restelo.
"TRANSMITIR EXPERIÊNCIA AOS JOVENS
wMiguel Ventura, ajudante de motorista, gostou tanto da primeira marcha do seu bairro que no ano seguinte foi ver como era e ficou até hoje.
"A marcha da Penha sai há 14 anos e só falhei o primeiro. Depois vim ver os ensaios, fui apanhado pelo bichinho e penso continuar enquanto houver saúde, até porque nós, os mais velhos, temos de ajudar os mais jovens, transmitindo-lhes a nossa experiência", sublinha Miguel Ventura.
"Felizmente temos um ambiente muito bom no grupo e os jovens que vieram de novo integraram-se muito bem, aspecto que é preciso aproveitar e incentivar, por forma a assegurar o futuro da nossa marcha", concluiu.
FICHA
TEMA: “Artes na Penha”
CORES: Azul e dourado
PADRINHOS: Maria João Abreu e José Raposo
COMPOSITOR: Fernando Correia Martins
LETRISTA: Carlos Oliveira
PORTA-ESTANDARTE: Ana Maria Jesus
MASCOTES: Cláudia Teixeira e Sérgio Silva
ENSAIADOR: Carlos Oliveira
COORDENAÇÃO: Carlos Oliveira
COLECTIVIDADE: Sporting Clube Da Penha - Rua da Penha de França, n.º 77
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)