Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Padrasto espanca e abusa de menor (COM VÍDEO)

Durante mais de dois anos, ‘Maria’, nome fictício, foi maltratada e espancada dezenas de vezes pelo padrasto. A menor de 13 anos suportou as agressões sempre em silêncio, até que no passado dia 12 o seu pior pesadelo tornou-se bem real: foi violada pelo companheiro da mãe, desempregado e a viver à conta do Rendimento Mínimo. Cansada de sofrer, ‘Maria’ percebeu que tinha que colocar um ponto final na história. Decidida, dirigiu-se à esquadra da polícia onde, com o apoio da mãe que também era alvo frequente de agressões, fez queixa contra o homem de 42 anos.
16 de Janeiro de 2010 às 00:30
O detido, de 42 anos, saiu sozinho do Tribunal de Instrução Criminal, no Porto,  já perto das 18h00
O detido, de 42 anos, saiu sozinho do Tribunal de Instrução Criminal, no Porto, já perto das 18h00 FOTO: José Rebelo

O desempregado foi detido pela Polícia Judiciária, saiu ontem em liberdade após ter sido ouvido durante várias horas no Tribunal de Instrução Criminal do Porto. O homem tem que se apresentar periodicamente na polícia. Já ‘Maria’, a mãe e a irmã mais nova, residentes em Matosinhos, deverão ser acolhidas temporariamente numa casa-abrigo. O caso foi também já encaminhado para a Comissão de Protecção de Menores, que irá avaliar a situação das duas crianças.

Maria viveu desde muito nova com os avós, até que aos 11 anos passou a residir com a mãe, a irmã mais nova e o padrasto numa casa em Matosinhos. Poucos dias se passaram até que a menina começou a ser alvo das agressões e maus tratos do padrasto. O mesmo se passava com a mãe e com a irmã, que também várias vezes foram espancadas e humilhadas.

Mas esta semana o homem decidiu ir mais longe. Sozinha em casa com o padrasto, Maria foi mais uma vez agredida e forçada a ter relações sexuais. A menina tentou a todo o custo impedir o homem, mas não conseguiu e nesse mesmo dia decidiu que tinha que denunciar o caso à polícia.

O homem é natural do Bairro do Cerco, no Porto. O detido tem antecedentes criminais por injúrias agravadas.

PORMENORES

CALMO

À saída do tribunal o homem mostrou-se calmo e bastante tranquilo com toda a situação.

OUVIDO DURANTE HORAS

O interrogatório demorou mais de três horas, O homem entrou na sala às 14h30 e só saiu já perto das 18h00.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)