Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Padre apanha 5 anos por burla com subsídio

José da Graça foi condenado por inscrever utentes falsos nas listas para receber subsídios.
João Nuno Pepino e José Durão 13 de Junho de 2019 às 09:14
Padre José da Graça (de frente) condenado por burla e falsificação. Centro recebeu 199 mil euros indevidamente
Cónego José Graça
Tribunal de Santarém
Padre José da Graça (de frente) condenado por burla e falsificação. Centro recebeu 199 mil euros indevidamente
Cónego José Graça
Tribunal de Santarém
Padre José da Graça (de frente) condenado por burla e falsificação. Centro recebeu 199 mil euros indevidamente
Cónego José Graça
Tribunal de Santarém
O Tribunal de Santarém condenou esta quarta-feira o padre José da Graça, que dirige o Centro Social Interparoquial de Abrantes (CSIA), a cinco anos de pena suspensa pelos crimes de burla e falsificação de documentos.

O tribunal considerou ter ficado provado que o pároco, com o auxílio de um cúmplice - Pedro Moreira, coordenador do Projeto Homem – uma comunidade terapêutica associada ao CSIA dedicada à reabilitação de alcoólicos e toxicodependentes - inscrevia utentes-fantasma nos serviços terapêuticos e nos apartamentos de reinserção do centro de forma a que a instituição recebesse sempre os apoios máximos estabelecidos pelas regras do Estado.

Na altura, a denúncia partiu do próprio Pedro Moreira, que garantiu estar "arrependido" e confirmou ter feito inscrições fraudulentas, envolvendo pessoas presas na altura, que já tinham abandonado o projeto, que sofriam de doenças mentais ou que eram simplesmente sem-abrigo. Pedro Moreira foi condenado a dois anos e 10 meses de pena suspensa.

Segundo o tribunal, o Centro Social Interparoquial de Abrantes terá recebido 199 mil euros em comparticipações pagas indevidamente. A instituição já devolveu cerca de 133 mil € e foi condenada a pagar 70 mil €.

O advogado de Pedro Moreira mostrou-se satisfeito com a decisão. Já o representante legal do pároco, Tiago Cardoso, considerou a sentença "profundamente errada e injusta" e mostrou-se confiante de que, no Tribunal da Relação, o processo seja tratado com "outra serenidade".

PORMENORES 
Braço-direito
Pedro Moreira, antigo presidente da Junta de Freguesia de Alferrarede, entrou no Projeto Homem como terapeuta. Acabou por assumir a sua gestão diária e tornar-se o braço-direitode José da Graça.

Padre há 52 anos
Foi em 1967 que José da Graça foi ordenado padre, na Sé de Portalegre. Nascido em Santana, o pároco agora condenado passou pelos seminários de Portalegre, Alcains e Gavião.

Inocente
Interrogado pela Polícia Judiciária, o pároco declarou que era Pedro Moreira e uma funcionária administrativa que preenchiam as listas. José da Graça limitava-se a assiná-las sem conferir.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)