Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Padre e três freiras julgados por escravizar noviças em Vila Nova de Famalicão

MP de Guimarães acusa os quatro responsáveis de sujeitarem as jovens a "clima de terror".
Fátima Vilaça 29 de Maio de 2019 às 08:55
Padre Joaquim Milheiro Valente
Padre Joaquim Milheiro Valente FOTO: Direitos Reservados
O padre Joaquim Milheiro Valente, de 87 anos, e três religiosas da Fraternidade Missionária Cristo Jovem, de Requião, Vila Nova de Famalicão, com mais de 70 anos, vão ser julgados por 9 crimes de escravidão.

O Ministério Público de Guimarães acusa os quatro responsáveis, assim como a própria instituição, de sujeitarem as jovens noviças a "um clima de terror que as mantinha em regime de total submissão, sem possibilidade de reação".

Segundo a acusação, de dezembro de 1985 até 2015, os quatro arguidos "impuseram às jovens ofendidas jornadas de trabalho que chegavam a atingir vinte horas, infligiam-lhes castigos físicos como bofetadas e pancadas no corpo com objetos se o não faziam ou faziam mal feito, insultavam-nas, impuseram-lhes castigos consistentes na privação de alimentação e de banho ou na obrigação de dormir no chão, controlaram os contactos que mantinham com o exterior, privaram-nas de informação, de contactos com familiares e, até, da documentação pessoal".

O caso foi denunciado em 2015 e os suspeitos foram alvo de buscas pela Polícia Judiciária do Porto.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)