Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Padre apresenta queixa por assédio

Sacerdote espera que caso seja resolvido na Justiça.
Silvana Araújo Cunha 4 de Junho de 2016 às 01:45
Padre José Silvino mostra-se agastado com assédio que dura há sete anos
Padre José Silvino mostra-se agastado com assédio que dura há sete anos FOTO: CMTV
"Vou mesmo apresentar queixa, é preciso resolver isto por meios legais." As palavras de desespero são do padre José Silvino, que não vê fim à perseguição de que é alvo há mais de sete anos por uma mulher, de 66 anos, que segue todos os passos do sacerdote. Chega mesmo a perturbar as missas que celebra e ignora todos os avisos para se afastar.

"A situação mantém-se igual. Nada muda, mesmo depois do comunicado que fizemos para todos os fiéis", desabafou o sacerdote, de 49 anos. Os paroquianos ficaram recentemente a saber do caso, depois de uma eucaristia, mas nem assim a autora das perseguições deixa de frequentar a Basílica de S. Pedro, no Toural, Guimarães.

A situação tem afetado bastante o padre e a sua família. "O meu filho tem sofrido muito por causa desta mulher", afirmou esta sexta-feira, exaltada, a mãe do padre, à porta da igreja. O gabinete de comunicação da Irmandade da Basílica indicou ao CM que o caso está a ser tratado por um advogado, recusando mais pormenores sobre o processo – que vai passar por uma queixa por perseguição e assédio. O sacerdote, familiares e fiéis esperam que o caso seja resolvido.

Por descobrir está quem é, afinal, esta mulher, que diz mesmo ao padre José Silvino que a diferença de idades e a sua condição de sacerdote não são impeditivos para uma relação.

José Silvino Basílica de S. Pedro Irmandade da Basílica religião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)