Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Padres portugueses têm mais fé na net

Os padres portugueses estão acima na média mundial na utilização da internet como veículo de divulgação da religião e são dos que mais confiam nas vantagens deste meio de comunicação, utilizando-o com frequência para preparar as homilias ou rezar.
12 de Julho de 2010 às 00:30
A transmissão on-line das celebrações na Capelinha das Aparições, no Santuário de Fátima, é um dos exemplos da utilização dada à internet
A transmissão on-line das celebrações na Capelinha das Aparições, no Santuário de Fátima, é um dos exemplos da utilização dada à internet FOTO: Tiago Sousa Dias

Segundo um estudo internacional, a que responderam cinco mil sacerdotes, quase metade dos ciberpadres portugueses consideram que a internet é útil para oferecerem os seus conselhos espirituais e mais de metade reza on-line pelo menos uma vez por semana.

Três quartos dos sacerdotes afirmam que as tecnologias permitem uma melhor evangelização dos jovens e assumem muita relevância junto da população em geral. Também nesta matéria, os ‘ePriests’ nacionais são mais optimistas do que os seus colegas e acedem mais à internet do que eles – 95,5% fazem-no todos os dias.

Segundo Daniel Arasa, professor de Comunicação Digital na Universidade Pontifícia da Santa Cruz (UPSC), em Roma, os ciberpadres portugueses, com 52 anos de idade média, têm "um nível mais alto de familiaridade com as tecnologias digitais". E mostram-se "mais partidários do seu uso para algumas actividades específicas da missão sacerdotal", adiantou à agência Ecclesia. Por exemplo, usam mais a internet para a pesquisa de materiais para as homilias do que a média dos seus colegas do resto do Mundo.

A maioria afirma que as oportunidades oferecidas pela comunicação on-line são superiores aos perigos, destacando que o uso das tecnologias digitais tem vindo a melhorar a sua formação sacerdotal. E até no uso das redes sociais os ‘ePriests’ nacionais são mais activos: um terço utiliza-as todos os dias.

Os autores do estudo concluem que os sacerdotes portugueses, apesar de mais velhos, "têm uma opinião mais positiva sobre as tecnologias de informação" do que os seus colegas.

PORMENORES

INQUÉRITO

Elaborado pela NewMinE e pelo webatelier.net, da Universidade Suíça Italiana. Apoiado pela Congregação para o Clero e UPSC.

RESPOSTAS

Responderam 4992 padres (1,2% do total mundial); 44 são portugueses (1,1%). 

DOCUMENTOS NA REDE AJUDAM A FAZER HOMILIAS

A pesquisa de materiais para a preparação das homilias é uma das razões que levam os sacerdotes portugueses a navegar na internet. Em média, 70% dos ciberpadres nacionais usam a rede mundial de computadores para procurar matéria que os ajude a elaborar a mensagem que pretendem transmitir aos fiéis durante as eucaristias. Também aqui estão acima da taxa de utilização mundial, pois apenas 61,4% dos padres estrangeiros usam o mesmo método.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)